Províncias

Familiares abandonam cadáveres na morgue do Hospital Provincial

Três corpos não reclamados encontram-se há quase  três meses na morgue do Hospital Provincial de Cabinda, lamentou quarta-feira o director clínico da instituição.

Pombalinho de Oliveira disse que um dos cadáveres completou três meses, enquanto os dois outros se encontram na morgue há dois, tendo já a direcção do hospital comunicado à Administração Municipal de Cabinda para a remoção e devido enterro.
O responsável  informou que a  morgue do Hospital Provincial de Cabinda conta com 24 gavetas e trabalha-se para um aumento de mais 16 gavetas, até finais deste ano.

Valas de drenagem

O administrador municipal de Cabinda, Artur Manuel do Carmo, apelou à população a não depositar os resíduos sólidos nas valas de drenagem das águas, sob risco de causar transtornos na época chuvosa.
O apelo foi feito no final da sua visita de constatação a algumas valas de drenagem de águas pluviais, na cidade de Cabinda, tendo em conta o aproximar das chuvas.
O administrador disse estarem a ser intervencionadas as zonas críticas e as valas de drenagem a serem preparadas para a época chuvosa.
Artur do Carmo anunciou ainda o reforço dos mecanismos de fiscalização, visando impedir as construções anárquicas em zonas críticas e consideradas de risco, além de estarem a trabalhar no sentido de transferir as pessoas nessas condições para áreas com mais segurança.

Tempo

Multimédia