Províncias

Famílias em zonas de risco são realojodas

Bernardo Capita| Cabinda

O Governo Provincial de Cabinda vai alojar, nos próximos dias, as primeiras 60 das 500 famílias que se encontram a viver em zonas de risco e abrangidas no perímetro da requalificação da cidade.

Autoridades provinciais querem cumprir as responsabilidade que têm com os habitantes
Fotografia: Rogério Tuti|Jaimagens.com

A governadora provincial, Aldina da Lomba, efectuou, no passado sábado, uma visita ao local para constatar a preparação do processo de transferência.
As famílias vão ser alojadas num novo bairro, em construção, na localidade de Zongolo, arredores da cidade de Cabinda. Neste espaço, o Governo está a construir 200 casas sociais do tipo T3.
De momento, estão edificadas 101 casas, das quais 60 já concluídas e 41 em fase de acabamentos. No local, está ainda em curso a construção das infra-estruturas básicas, como arruamentos e rede pública de energia eléctrica.
A água potável já existe, sendo que as populações, quando se instalarem, vão ser abastecidas por um sistema sustentado por um furo artesiano com 200 metros de profundidade.
A governadora Aldina da Lomba manifestou-se satisfeita tanto pela qualidade, quanto pelo andamento das obras, tendo solicitado aos técnicos e operários para envidarem mais esforços, de modo a terminem as obras na data prevista. Desta forma, disse a governadora, as autoridades provinciais vão poder cumprir as suas responsabilidades que têm com a população. Apesar de encantada com a obra, Aldina da Lomba sugeriu a ampliação da escola primária e do posto médico já existentes na localidade, para que possam corresponder ao número de famílias a serem transferidas para o Zongolo.

Requalificação 

A requalificação da cidade de Cabinda, prevista no plano de desenvolvimento da província, aprovado pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, também já teve início.
No âmbito do programa, já arrancaram as obras de requalificação do Cemitério dos Nobres, da zona do Tratado do Simulambuco e das rotundas de Cabassango e Buco Ngoio. Os três projectos vão ser inaugurados a 28 do corrente, por ocasião dos 57 anos da cidade de Cabinda.
Em função de tais empreendimentos, a governadora acredita que a imagem de Cabinda vai mudar de forma considerável.
Quanto ao Cemitério dos Nobres e à zona do Tratado do Simulambuco, Aldina da Lomba disse que é oportuna a requalificação das mesmas, por serem dois importantes marcos da cultura angolana, daí a necessidade de serem conservados. “Desta forma, a juventude, os estudantes e turistas que visitarem esses locais, vão poder saber um pouco mais sobre a realidade e história da nossa província, de modo particular, e do país em geral”, referiu.

Tempo

Multimédia