Províncias

Garantidos mecanismos para aquisição de fármacos

O governador da província de Cabinda, Eugénio Laborinho, garantiu terça-feira, naquela cidade, a criação de um mecanismo logístico para se ultrapassar a falta de medicamentos e de material gastável no hospital provincial.

Governador de Cabinda radiografa sector da Saúde
Fotografia: António Soares | Edições Novembro | Cabinda

De acordo com o vice-governador para a área Política e Social, Victor do Espírito Santo, que falou no final da visita do governador ao Hospital Provincial de Cabinda, o referido mecanismo deverá igualmente fazer face à morosidade no atendimento aos pacientes.
Victor do Espírito Santo acredita que o mecanismo logístico, ainda que seja para remediar, vai dar para ultrapassar as situações que o governador constatou no hospital. Sobre a morosidade no atendimento dos pacientes, o vice-governador disse ser um dos apelos que têm sido feitos constantemente no sentido da humanização dos serviços da saúde, advertindo que aos que não acatarem essas orientações serão tomadas medidas severas.
Quanto às obras do hospital provincial paralisadas desde 2014, disse ser também preocupação do governador, que se inteirou do motivo da sua paralisação para poder traçar medidas urgentes para inverter o quadro.
Eugénio Laborinho constatou o funcionamento do Hospital Provincial de Cabinda e o andamento das obras de reabilitação e ampliação da maior unidade sanitária da província, iniciadas em Maio de 2007.
O governador visitou, igualmente, o Hospital Materno-infantil do 1º de Maio, onde recebeu explicações sobre o seu funcionamento e valências.
Por outro lado, o hospital infecto-contagioso de Santa Catarina, localizado na zona sul do município sede de Cabinda, está sem medicamentos há mais de três meses para o tratamento dos pacientes com tuberculose, informou à imprensa o director clínico daquela unidade, Mombo Ngimbi, à margem da primeira visita de constatação feita pelo governador Eugénio Laborinho.

Tempo

Multimédia