Províncias

Governadora indica metas

O desenvolvimento social constitui um dos elementos de prioridade no âmbito do Plano de Desenvolvimento da Província de Cabinda, aprovado em Março último pela Comissão Económica do Conselho de Ministros.

Governadora Aldina Dalomba defende atenção especial à comunicação social
Fotografia: Rafaei Tati

A governadora Aldina Dalomba disse, em entrevista a Angop, que o seu objectivo no plano social é potenciar os serviços de saúde, educação, a assistência social aos grupos vulneráveis, mais concretamente a assistência às crianças órfãs e em situação de risco, ao idoso, aos portadores de deficiência, aos antigos combatentes e veteranos da pátria, como forma de valorizá-los.
Ainda no capítulo social, as atenções vão estar voltadas para a cultura. “A cultura tem um papel fundamental”, afirmou Aldina Dalomba, acrescentando que, associado ao Desporto, constituem indicadores para a reinserção social. “Nós vamos prestar muita atenção à formação cultural, à descoberta de novos valores, ao relançamento dos artistas, não apenas músicos, a cultura em todas as suas vertentes\", anunciou a governadora provincial de Cabinda.
Em relação ao Desporto, Aldina Dalomba realçou o seu papel de factor de unidade nacional. “O desporto une a Nação e traz a alegria a todos\", disse a governadora, assegurando que vai trabalhar de forma integrada para que sejam atingidos os desejados êxitos. “No capítulo social, foi feito um trabalho profundo e o diagnóstico do sector que indica o que existe, o que é preciso fazer e onde fazer”, realçou.
Outro sector que merece especial atenção, no âmbito do referido programa, é a Comunicação Social. \"Pretendemos que os diversos órgãos cheguem a toda extensão da província. Temos um relevo bastante complicado, que as vezes nos tem trazido muitos problemas, sobretudo na transmissão do sinal televisivo, mas estamos a fazer um esforço. Vai surgir agora a primeira rádio comunitária no município de Belize, e pretendemos estender a todos os municípios”, informou.
Outro aspecto privilegiado no Plano de Desenvolvimento da Província de Cabinda é o da Indústria e Geologia e Minas. “Vamos trabalhar na indústria e geologia e minas. Estamos a fazer neste momento o levantamento dos recursos e meios que a província tem”, disse Aldina Dalomba, realçando que “somos potencialmente ricos não só em petróleo, mas também temos o ouro, diamante, rochas asfálticas, fosfato e outros minerais”.
A governadora falou igualmente da necessidade de se prosseguir a interligação entre a cidade e o campo, mediante a melhoria das vias de acesso. Outro elemento referenciado por Aldina Dalomba é o surgimento da Centralidade de Cabinda. “Vai estar na reserva fundiária leste, ao longo da grande circular que sai de Santa Catarina, passa pelo Chibodo, e sai na aldeia do Caio, por detrás do Campus Universitário do Caio”, informou. \"Vai ser um prolongamento do projecto das quatro mil casas sociais\", afirmou, referindo que o mesmo enquadra-se num projecto de coordenação central, através do Ministério da Construção, e que arranque em 2014.
As fontes de financiamento para implementação destes e outros projectos, segundo a governadora Aldina Dalomba, são o Orçamento Geral do Estado, o Programa de Investimentos Públicos, bem como os 10 por cento da exploração petrolífera de que a província beneficia, avaliados em 17 mil milhões de kwanzas por ano.
O Plano de Desenvolvimento da Província de Cabinda surgiu como orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, a quando da sua visita àquela parcela do território nacional, em Agosto do ano passado. Na ocasião, frisou, o Presidente da República manifestou a preocupação quanto a necessidade de a província conhecer um nível de desenvolvimento capaz de reflectir-se na melhoria da qualidade de vida da população, beneficiando-se dos recursos naturais que tem, particularmente do petróleo.

Tempo

Multimédia