Províncias

Governadora Aldina da Lomba pede criatividade aos gestores

Bernardo Capita | Cabinda

A governadora provincial de Cabinda, Aldina da Lomba, pediu segunda-feira aos administradores municipais maior criatividade na execução dos Programas Municipalizados de Combate à Pobreza, tendo em conta a escassez de recursos causada pela crise financeira.

José Macaia quando assinava o termo de posse como administrador do Belize na cerimónia presidida pela governadora Aldina da Lomba
Fotografia: António Soares | Cabinda

Aldina da Lomba defendeu que os responsáveis devem ser ainda mais criativos, com vista a aproveitarem as potencialidades de cada localidade e atrair investimentos, que dão emprego, com particular realce no domínio da agricultura.
A governadora salientou que é preciso que os administradores sejam mais capazes para enfrentar a crise nas suas gestões, a partir de uma maior entrega, esforço e criatividade, com vista a ultrapassar as consequências da crise financeira internacional. Aldina da Lomba falava durante o acto de posse dos novos administradores municipais de Cabinda, Arnaldo Tomás Puati, de Buco Zau, José Macaia, e de Belize, André Manuel Ndima Tati.
Aos novos administradores, a governadora pediu que executem obras sociais que mais preocupam a população, com destaque para a construção e reconstrução de escolas, hospitais e centros de saúde, sistemas de energia e de tratamento de água e vias rodoviárias.
A governante salientou que a agricultura deve ser tida pelos administradores municipais como uma das principais apostas, incrementando acções nos domínios da transformação da madeira, cultivo de ginguba, mandioca, banana, entre outras culturas predominantes em cada área, além da pesca e da produção de óleo de palma.
Com os recursos naturais disponíveis em cada município, os administradores municipais devem convidar empresários, para investirem e criarem mais empregos, visando o bem-estar das populações. A responsável provincial exigiu ainda aos novos administradores municipais maior rigor na utilização dos dinheiros públicos, assim como chamou a atenção para empregarem esses valores monetários apenas em projectos sociais devidamente programados.
Ao novo administrador municipal de Cabinda, o maior da província, quer em termos geográficos, quer demográficos, com mais de 500 mil habitantes dos cerca de 700 mil existentes em toda aquela parcela do Norte do país, a governadora apelou para que se trabalhe mais na governação participativa, privilegiando o diálogo com todos os segmentos da população.
A governadora quer maior rigor no combate aos grandes problemas de Cabinda, principalmente os ligados ao saneamento básico, imigração ilegal, delinquência, construções anárquicas, venda ilegal de terrenos e vias de comunicação.

Tempo

Multimédia