Províncias

Governadora pede mais rigor aos gestores

Bernardo Capita| Cabinda

A governadora de Cabinda pediu na sexta-feira aos administradores municipais para serem mais responsáveis na gestão dos recursos financeiros disponibilizados pelo Governo, no âmbito do Programa Municipalizado e Integrado de Combate à Pobreza.

Programa de expansão de serviços sociais com destaque para a distribuição de água potável é uma das várias apostas da governação
Fotografia: Maria João


Aldina da Lomba, que falava num encontro com os administradores de Cabinda, Cacongo, Belize e Buco Zau, destinado a avaliar o referido programa referente ao passado mês de Agosto, afirmou que o empenho dos municípios, sobretudo para melhorar a qualidade de vida das populações, é fundamental para o seu sucesso.
A governadora disse que os recursos financeiros que o programa coloca à disposição das administrações devem ser rigorosamente empregues em acções destinadas a resolver as grandes dificuldades com que a população se depara, principalmente no que diz respeito à educação, saúde, água e pequenas obras produtivas para o fomento de emprego nos municípios.
“É preciso o empenho e dedicação dos administradores municipais e, acima de tudo, uma gestão correcta desses recursos financeiros, o que passa, necessariamente, em primeiro lugar, por os gestores saberem as reais preocupações das populações e depois investi-los nessas acções”, realçou.
O Governo Provincial de Cabinda, num relatório referente ao mês de Agosto, produzido pela Unidade Técnica Provincial de Combate à Pobreza, refere que o Programa Municipalizado Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza permitiu a execução de acções dirigidas para os cuidados primários de saúde, merenda escolar e fornecimento de água.
Nos quatro municípios, em termos globais, gastou-se no subprograma de imposto social e económico mais de 450 milhões de kwanzas, nos cuidados primários de saúde mais de 345 milhões e no programa Água para Todos perto de 82 milhões.
Para o programa de merenda escolar, o Governo Provincial despendeu mais 111 milhões de kwanzas, refere o relatório apresentado no encontro.
No município de Cabinda, está em curso a reabilitação da residência do administrador comunal de Malembo e do estaleiro da localidade de Mbaca.
O documento salientaigualmente que, para o reforço da capacidade institucional, está a ser construído em Cacongo um Centro Infantil Comunitário (CIC) e um outro de educação comunitário (CEC), na comuna sede, para acolher 120 crianças.
No município de Buco Zau, está a ser edificada a casa para o administrador, enquanto no Belize decorre a reabilitação de seis residências para quadros da Administração Municipal, projecto remanescente de 2013.
Em Belize, está ainda a ser construído um estaleiro para os serviços de manutenção e conservação dos meios e a construção do muro de vedação da regedoria de Ganda Cango.

Acesso ao ensino

No tocante ao reforço da rede escolar, no âmbito do Programa Municipalizado Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, está em construção uma escola primária de seis salas, no bairro Bata Manga, município de Buco Zau, para acolher 1.340 alunos.
No município de Cabinda, o documento refere que está igualmente em execução o projecto de ampliação de uma escola de três salas, na aldeia de Chiobo, a construção de uma cantina escolar para 240 alunos, além das obras de vedação da escola de Ntumba, que tem capacidade para 630 alunos.
No que concerne aos subprogramas de cuidados primários de saúde e Água para Todos, o documento faz menção a um conjunto de acções, que foram executadas durante o período em análise, com vista a melhorar a qualidade de vida das populações.

Tempo

Multimédia