Províncias

Melhora a distribuição de água potável

Leonor Mabiala | Cabinda

A cidade de Cabinda e os bairros periféricos registaram, nos últimos tempos, melhorias no sistema de distribuição de água potável, na sequência de várias medidas que foram tomadas pela recém criada  Empresa Provincial de Águas (EPAC), dando uma outra dinâmica ao sector, afirmou ontem o coordenador da comissão instaladora.

A população da cidade de Cabinda e dos bairros periféricos deixa de percorrer longas distâncias em busca de água para o consumo
Fotografia: Nilo Mateus

Como primeira medida, de acordo com Filipe Barros, que falou ao Jornal de Angola, a EPAC começou por cadastrar os consumidores de toda a província, um processo que já permitiu registar 5.657 utentes.
Dos números registados, informou Filipe Barros, 5.009 são clientes do município de Cabinda, 347 de Cacongo e 301 do Buco-Zau.
O processo de cadastramento não abrangeu o município de Belize, pelo facto de a localidade possuir apenas um sistema de abastecimento que produz três metros cúbicos de água por hora.
Outra tarefa que a Empresa Provincial de Águas está a levar a cabo para o melhoramento do abastecimento, segundo a mesma fonte, é a sensibilização de consumidores sobre a necessidade de pagamento do produto consumido.
A falta de pagamento de água constitui, nas palavras do coordenador da EPAC, uma das maiores dificuldades que a empresa vive neste momento e daí a necessidade da campanha de sensibilização, cujos resultados são já visíveis, com o registo semanal de cerca de 80 consumidores na cidade de Cabinda e 30 na vila de Lândana (Cacongo).
Sobre os requisitos para novas ligações domiciliares, Filipe Barros esclareceu que o interessado deve apenas dirigir-se à direcção da EPAC e apresentar uma fotocópia do Bilhete de Identidade, uma declaração da coordenação do bairro para a celebração do contrato e o pagamento de 13.390 kwanzas,  sendo 4.400 para os serviços administrativos e 8.890 para a compra do material. Para as populações residentes em zonas de difícil acesso, a EPAC garante levar água potável com um camião cisterna, com capacidade de 17 mil litros, que em breve vai assegurar o abastecimento nas localidades.

Tempo

Multimédia