Províncias

Mina de asfalto no Necuto entra na fase de exploração

André Guto| Cabinda

A mina asfáltica localizada na comuna de Necuto, município de Buço, 120 quilómetros a norte de Cabinda, vai começar a ser explorada nos próximos dias por empresas locais de construção civil.

Entrada em funcionamento da via confere maior dinamismo à reabilitação das estradas
Fotografia: Dombele Bernardo

A mina asfáltica localizada na comuna de Necuto, município de Buço, 120 quilómetros a norte de Cabinda, vai começar a ser explorada nos próximos dias por empresas locais de construção civil.
O asfalto vai ser aplicado nas estradas e vias terciárias que estão em obras um pouco por toda a província. Até agora, o produto era adquirido no exterior do país.
O asfalta na mina do Necuto está em rocha e no período colonial era feita a sua exploração de forma rudimentar. Foi aplicado nas estradas do Dinge, Necuto, Buco Zau, Belize e Miconge.
O governo local pretende aproveitar esse recurso natural para minimizar as dificuldades com que se debatem as empreiteiras locais.
Para avaliar a qualidade do asfalto, o vice-governador de Cabinda para a Área Técnica e Produtiva, António Manuel Gime, deslocou-se no passado fim-de-semana à localidade de Chiongo, no Necuto.
No local, António Manuel Gime, disse que a “redescoberta da rocha asfáltica é uma satisfação para o governo da província de Cabinda e das empresas construtoras, porque vai contribuir significativamente para o melhoramento das condições sociais das populações no domínio das vias terciárias”.
O vice-governador recordou que a rocha asfáltica do Necuto serviu de fonte de asfalto para aplicar nas vias entre a comuna do Dinge e Miconje, nos anos 70.
“Antes de iniciar a exploração da rocha asfáltica, nós vamos ter que assumir a parte jurídica junto do Ministério de Geologia e Minas no que diz respeito aos procedimentos administrativos”, disse.
António Manuel Gime pediu às autoridades tradicionais da zona onde se encontra a mina para colaborarem com o governo de forma a facilitar o processo de exploração do asfalto já que vai ser aplicado nas obras de construção e recuperação de estradas, empreendimentos que depois de concluídos vão melhorar a vida dos habitantes da província.
O regedor de Caio Contena, Pedro Simão, agradeceu a iniciativa do Governo Provincial em voltar a explorar o asfalto, pois com o reinício da actividade, muitos aldeões vão ter o problema de emprego resolvido. “Estamos abertos para que actividade de exploração comece de imediato” frisou Pedro Simão.
O administrador da comuna de Necuto, Pedro Manuel Gomes, ficou satisfeito com a revitalização da mina de rocha asfáltica.
“Vamos colaborar, garantindo segurança durante o processo de exploração do produto evitando que os malfeitores venham destruir as máquinas e os camiões” disse.
O administrador da Empresa de Construção e Imobiliária de Cabinda (EMCICA), Raul Rocha, disse que o asfalto, devido às excelentes qualidades que possui, vai ser também aplicado em arruamentos das zonas urbanas da província de Cabinda.
A Empresa de Construção e Imobiliária de Cabinda está reabilitar a via entre Bera Nova e a sede comunal de Necuto e posteriormente a estrada que Bera Nova à sede da comuna do Dinge.

Tempo

Multimédia