Províncias

Nzeto forma jovens em artes e ofícios

Víctor Mayala | Nzeto

Mais de 130 jovens, entre os quais 24 do sexo feminino, do município do Nzeto, província do Zaire, estão a ser formados em distintos cursos técnico-profissionais, ministrados no Pavilhão de Artes e Ofícios, sob a égide do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP).

Director do Pavilhão de Artes e Ofícios
Fotografia: Garcia Mayatoco| Nzeto

Mais de 130 jovens, entre os quais 24 do sexo feminino, do município do Nzeto, província do Zaire, estão a ser formados em distintos cursos técnico-profissionais, ministrados no Pavilhão de Artes e Ofícios, sob a égide do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP).
Aberto a 14 de Abril de 2008, o Pavilhão de Artes e Ofícios está vocacionado para o ensino de informática, corte e costura, electricidade, alvenaria e carpintaria.
Segundo Sebastião Fernandes, director da referida instituição de ensino, o Pavilhão, criado à luz do programa do Executivo angolano denominado “cidadania e emprego”, tem registado a afluência de muitos jovens, ávidos de uma formação técnico-profissional que lhes permita a sua inserção no mercado de trabalho. O curso de informática é o mais solicitado pelos jovens e tem matriculados 48 formandos, seguido de electricidade, com 40, corte e costura 21, alvenaria 15 e carpintaria 11. Os cursos têm todos a duração de nove meses, excepto o de informática, que é leccionado em apenas três meses. O funcionamento do pavilhão é assegurado por um total de 19 trabalhadores, entre formadores, técnicos administrativos, seguranças e auxiliares de limpeza.  
O director do Pavilhão de Artes e Ofícios do município do Nzeto alertou as autoridades do sector de que parte do equipamento técnico instalado, desde a sua inauguração, deve ser substituído, por se encontrar obsoleto.
O director pedagógico da instituição, Nlandu Nsinsa, acrescentou que muitos jovens formados no pavilhão já trabalham nas empresas públicas e privadas, não apenas no Nzeto, mas também nos municípios de Mbanza Congo, Soyo, e inclusive na capital do país.

Tempo

Multimédia