Províncias

Preservação da natureza preocupa ambientalistas

Leonor Mabiala | Cabinda

O secretário provincial do Ordenamento do Território, Urbanismo e Ambiente em Cabinda, Paulo Luvambano, pediu nesta cidade a contribuição da população na preservação do meio ambiente, de modo a elevar a sua qualidade de vida.

O secretário provincial do Ordenamento do Território, Urbanismo e Ambiente em Cabinda, Paulo Luvambano, pediu nesta cidade a contribuição da população na preservação do meio ambiente, de modo a elevar a sua qualidade de vida.
Paulo Luvambano, que falava por ocasião do Dia Nacional do Ambiente, assinalado a 31 de Janeiro, alertou que as tarefas de protecção do ambiente não são apenas da responsabilidade do Estado, pois requerem o envolvimento de toda população.
Em Cabinda, província que abrange parte da segunda maior floresta do Mundo, Maiombe, o Dia Nacional do Ambiente foi comemorado com a realização de palestras.
A supervisora da área do ambiente no campo petrolífero do Malongo, Margarida Peliganga, foi oradora de uma palestra sobre “educação ambiental”, na sede da Administração Municipal.
A especialista centrou a sua palestra na denúncia dos comportamentos que violam o saneamento básico na cidade, sobretudo no que se refere ao uso de latrinas ao ar livre, utilização indevida de esgotos e colocação anárquica do lixo domiciliário. “A falta de higiene prejudica a saúde, daí a necessidade de se educar a população sobre a importância da preservação do meio, através de matérias ligadas à educação ambiental”, disse. A palestrante considera imprescindível dotar a população de conhecimentos para assumir a responsabilidade de proteger o espaço à sua volta.
Margarida Peliganga apontou as águas estagnadas, alimentos contaminados e a qualidade da água consumida como causas de doenças como a malária e disenteria.
O chefe do Departamento do Ambiente, Daniel Tati, que dissertou sobre o tema “estudo do impacto ambiental”, defendeu a criação de projectos específicos em determinadas áreas, sublinhando ser este um “instrumento auxiliar no processo de educação ambiental”.
 “O estudo de impacto ambiental representa um método de análise sintética de uso de parâmetros técnico-científico de efeitos, quer positivos como negativos, de curto, médio, longo prazo, que um determinado projecto pode causar aos seus beneficiários”, disse.
 Daniel Tati considerou que qualquer projecto, independentemente da sua dimensão ou importância social, gera sempre um impacto ambiental.

Tempo

Multimédia