Províncias

Programa de assistência sanitária passa para gestão das autoridades

Leonor Mabiala | Cabinda

O programa “Keba Buvinda”, de iniciativa da empresa Consaúde, que visa melhorar o acesso da população aos cuidados primários de saúde materna e infantil, serviços de qualidade adaptados às reais necessidades das comunidades, passa a ser assumido pelo governo da província de Cabinda.

Autoridades locais apostam na expansão dos serviços de saúde para baixar os índices de mortalidade materno-infantil nas comunidades
Fotografia: Jornal de Angola

O programa “Keba Buvinda”, de iniciativa da empresa Consaúde, que visa melhorar o acesso da população aos cuidados primários de saúde materna e infantil, serviços de qualidade adaptados às reais necessidades das comunidades, passa a ser assumido pelo governo da província de Cabinda.
O acto formal de transferência da gestão do programa foi testemunhado pelo governador provincial, Mawete João Baptista, por membros do governo da província, responsáveis da petrolífera Chevron ligados aos departamentos de Relações Públicas e Assuntos Governamentais e da Saúde.
O programa “Keba Buvinda”, que no dialecto ibinda significa “cuidar da saúde”, funciona com clínicas móveis, uma para o município de Cacongo e outra para o Belize.  Financiado pela Chevron, o programa está avaliado em 1.27 milhões de dólares e enquadra-se no Programa de Desenvolvimento Económico de Cabinda (PDEC).     
O governador de Cabinda afirmou que os dados constantes no relatório elaborado pela empresa Consaúde, sobre a implementação de actividades sanitárias na região, espelham que há ainda muito trabalho por fazer. Mawete João Baptista realçou que as obras de reabertura de vias, em curso, vão permitir uma maior assistência às populações. A directora das relações Públicas da Cabgoc, Eunice de Carvalho, referiu que o projecto de clínicas móveis permite levar os bons hábitos e costumes em termos de prevenção de doenças às comunidades que habitam em áreas recônditas da província.
O responsável da empresa Consaúde, David Paulo, salientou que o objectivo inicial do projecto era contribuir na melhoria da saúde materno-infantil das populações dos municípios de Cacongo e Belize, para onde o programa está direccionado, através de acções nos domínios da intervenção coordenação, prevenção, diagnóstico e tratamento das principais doenças de infância e da mulher grávida.  David Paulo disse que, desde a implementação do programa, em 2009, o mesmo teve como alvo preferencial crianças menores de cinco anos e mulheres grávidas, tendo abrangido 71 mil habitantes dos dois municípios.
O responsável da empresa Consaúde acrescentou que o programa teve como áreas de intervenção a gestão, diagnóstico, tratamento e abastecimento de medicamentos.

Tempo

Multimédia