Províncias

Projecto habitacional de Chibodo começa a entregar casas este mês

Bernardo Capita| Cabinda

O projecto de habitação urbana de Chibodo, oito quilómetros a nordeste da cidade de Cabinda, entrega no dia 15 de Agosto 135 apartamentos do tipo T3 e T4, dos 1.002 em construção, ficando os restantes apartamentos concluídos em Dezembro. 

O projecto de habitação urbana de Chibodo não beneficia por enquanto do abastecimento de água potável da rede pública
Fotografia: Rafael Tati

O projecto de habitação urbana de Chibodo, oito quilómetros a nordeste da cidade de Cabinda, entrega no dia 15 de Agosto 135 apartamentos do tipo T3 e T4, dos 1.002 em construção, ficando os restantes apartamentos concluídos em Dezembro. 
A primeira fase do projecto contempla a construção de edifícios, arruamentos e serviços básicos como creches, escolas primárias e secundárias, centro de tratamento de águas residuais, iluminação pública e arborização.
Numa área de três hectares, foram já edificados alguns edifícios com três pisos, dos 35 previstos.
Para constatar a evolução das obras, a governadora interina de Cabinda, Aldina da Lomba, visitou o projecto e ficou satisfeita, porque se trata de uma mais-valia para a província, que vai ajudar a minimizar a carência habitacional da população, sobretudo os jovens.
Aldina da Lomba destacou a importância do projecto de habitação urbana de Chibodo, que possui uma área de reserva comunitária, onde a população pode construir a sua casa no sistema de autoconstrução dirigida, dentro dos padrões estabelecidos para as novas cidades que o Executivo está a erguer.
O pagamento dos apartamentos no Chibodo, disse, é feito através de renda resolúvel, tal como acontece no resto do país, em que o cidadão beneficiário paga a casa mensalmente e ao cabo de 30, 40 anos o imóvel passa a ser seu.
Um guichet do imóvel é criado para um atendimento personalizado e harmonioso da população, que permite ao interessado fazer a inscrição e obter toda a informação disponível. O responsável do projecto em Cabinda, general Henrique Futi, informou ao Jornal de Angola que o mesmo se encontra numa fase avançada e que até Dezembro são concluídos os 35 edifícios de três pisos cada, perfazendo 1.002 apartamentos.
“Neste momento, trabalha-se no arruamento, arborização para manter o equilíbrio ecológico que se pretende dar à área, além da iluminação pública e dos serviços de telecomunicações, como a instalação de Internet banda larga e rede de telemóvel”, esclareceu. O projecto de habitação urbana de Chibodo não beneficia por enquanto do abastecimento de água potável da rede pública, por estar localizado fora do casco urbano.
Henrique Futi garantiu que no local é instalado um sistema provisório de captação e tratamento de água a partir de um furo artesiano.
“Vamos criar dentro do projecto um sistema de captação e distribuição de água para abastecer os 135 apartamentos, enquanto aguardamos pela extensão da rede geral da cidade de Cabinda”, justificou.
A par do projecto de habitação urbana de Chibodo, estão em construção na província de Cabinda vários fogos habitacionais, alguns dos quais em fase inicial e outros em final de execução. No município madeireiro de Buco-Zau, na localidade de Catabuanga, o governo da província constrói 70 casas e na dos Lites constrói 80, todas de baixa renda e do tipo T3.
No Cacongo estão em construção 140 fogos habitacionais, também do tipo T3, no âmbito do Programa Nacional de Construção de 200 casas sociais em cada município do país e igual número de moradias, abrangendo os municípios de Cacongo, Buco-Zau e Belize. Na cidade de Cabinda, fora desse projecto, já foram construídas 250 moradias no Buco-Ngoio e 150 no bairro Cabassango, vulgo “Vila Olímpica”.   

Tempo

Multimédia