Províncias

Sector da agricultura cumpre as metas

As metas estabelecidas no Plano de Desenvolvimento da Província de Cabinda 2013/ 2017 no sector da Agricultura já foram cumpridas em 65 por cento, afirmou o secretário provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas.

Cabinda produz mandioca e banana em quantidade significativas até para exportação
Fotografia: José Soares


João Tati Luemba disse que das metas estabelecidas destacam-se o aumento até 2017 em 50 por cento do volume de produção de bens agrícolas de primeira necessidade, como raízes e tubérculos, cereais, hortofrutícolas, leguminosas e oleaginosas, além de diminuir em 15 por cento a importação de carne bovina e 25 por cento de aves de consumo e ovos.
No total, prevê-se até 2017 atingir uma produção de 726.550 toneladas de produtos diversos. Em 2013 a produção foi de 484.367 toneladas, enquanto no ano passado esteve fixada em 444.959. A previsão para 2015 aponta uma produção de 556.027 toneladas, indicadores demonstrativos de que as metas preconizadas são atingidas até 2017.
“Acreditamos que estas metas são atingidas, a julgar pelo trabalho em curso”, disse, e que o sector da Agricultura está empenhado na massificação da cultura de feijão vulgar nas comunidades rurais, sobretudo a nível do Alto Sundi, Dinge, Necuto e a sul da cidade de Cabinda, para se inverter o défice que a província regista em termos desses produtos. Cabinda produz mandioca e banana em quantidades consideradas auto-suficientes até para exportar, mas o feijão, uma das componentes da dieta alimentar das populações locais, regista ainda fraca produção. O secretário da Agricultura refere que a aplicação do Programa de Aquisição de Produtos Agro-pecuários (PAPAGRO), prevista para breve, estimula os camponeses a produzir mais, porque os seus produtos já não vão estragar-se, por falta de compradores.
Para a campanha agrícola 2014/2015 estão envolvidas 36.586 famílias a nível dos quatro municípios da província, das quais 23.236 no município de Cabinda (sede). A estrutura produtiva conta ainda com o empresariado emergente, associações e cooperativas agrícolas, assim como o sector pesqueiro.
O Plano prevê para a presente campanha agrícola a preparação mecanizada de 900 hectares, dos quais até 30 de Março deste ano estavam já lavrados 467,5 hectares, correspondentes a um cumprimento de 51.8 por cento.
Tati Luemba refere que até final da campanha agrícola a meta fica cumprida em, pelo menos, 85 por cento.

Tempo

Multimédia