Províncias

Sinal de operadora móvel chega às zonas fronteiriças

Leonor Mabiala | Cabinda

Os habitantes dos municípios de Cacongo, Buco-Zau e das comunas de Necuto e Miconje, em Cabinda, já podem falar a partir da rede de telefone da Movicel, anunciou ontem, naquela cidade sede da província, o chefe de departamento do património daquela operadora.

Operadora Movicel
Fotografia: Jaimagens.com

Falando à imprensa, à saída de uma audiência com a governadora provincial, Aldina da Lomba, Ambrósio Pedro informou que a operadora instalou três estações de telecomunicações na periferia dos municípios, para permitir a propagação eficiente do sinal.
Ambrósio Pedro disse que as três estações fazem parte do plano estratégico de expansão da rede de telecomunicações aos municípios que não possuíam o sinal da Movicel, referindo que a operadora trabalha no sentido de estender as comunicações até aos pontos mais recônditos da província.
“A Movicel é uma empresa do povo e o para povo. Fizemos um exercício gigantesco para que conseguíssemos trazer a alegria a esta população, sobretudo neste período da quadra festiva”, esclareceu.
Explicou que a operadora conta com um raio de cobertura de 95 por cento, que considera positivo, para que as famílias estejam ligadas umas às outras, já que as comunicações são o maior veículo que as deve manter em contacto. Para as localidades que ainda não têm os serviços da operadora da Movicel, Ambrósio Pedro garantiu a sua implantação dentro dos princípios previstos no plano estratégico da empresa.

Tempo

Multimédia