Províncias

Tchizo tem centro de saúde moderno

Bernardo Capita |Cabinda

A população da aldeia de Tchizo está, desde terça-feira, melhor servida de assistência médica e medicamentosa, com a inauguração de um centro de saúde construído pelo governo da província, no âmbito do Programa de Investimento Público (PIB).

Governador procedeu ao corte da fita
Fotografia: Rafael Taty | Cabinda

A população da aldeia de Tchizo está, desde terça-feira, melhor servida de assistência médica e medicamentosa, com a inauguração de um centro de saúde construído pelo governo da província, no âmbito do Programa de Investimento Público (PIB).
A unidade sanitária construída de raiz, completamente apetrechada, dispõe de 40 camas e de várias áreas de serviço, como banco de urgência, maternidade, pediatria, laboratório, farmácia, sala de observação e enfermarias.
Além disso, também foram construídas duas casas geminadas para enfermeiros e médicos.    
O governador da província de Cabinda inaugurou o centro, que funciona, com 40 funcionários, entre técnicos, enfermeiros, médicos e pessoal administrativo.
Mawete João Baptista disse que a inauguração do centro de saúde de Tchizo “é o fim do calvário” para as populações da aldeia – situada numa montanha, com uma elevação superior a 300 metros – que durante muitos anos teve de percorrer quilómetros a pé para receber assistência médica e beneficiar de outros serviços sociais.
“Quando visitei, pela primeira vez, a aldeia de Tchizo, foi sufocante ouvir as lamentações da autoridade tradicional, que me disse não haver nada na localidade, nem estrada, nem água, nem luz eléctrica, nem educação, nem saúde”, lembrou, acrescentando que após ter feito uma análise à situação, o governo decidiu melhorar as condições de vida das populações, construindo escolas e o centro de saúde, instalando a iluminação pública e reabrindo a estrada há mais de 30 anos inoperante.
Com a instalação desses serviços sociais no Tchizo, disse, a aldeia é hoje o orgulho dos seus habitantes.
O ancião Vicente Manquele afirmou que os projectos sociais desenvolvidos pelo governo em Tciozo – o centro do poder tradicional de Cabinda – mudaram por completo a imagem da aldeia.
O secretário provincial da Saúde, Carlos Zecas, salientou que o centro de saúde “está dotado de excelentes condições de trabalho”, que vão permitir aos técnicos prestarem “uma assistência personalizada à população local”.
À margem da abertura do centro de saúde, enquadrada nas comemorações do Dia do Herói Nacional, foram inaugurados, pelo governador, outros empreendimentos sociais, entre os quais uma escola primária na aldeia de Ndungo Buba, na comuna de Tando-Zinze, a 75 quilómetros a nordeste da cidade de Cabinda.
As obras da escola – também feita de raiz, com seis salas, gabinete do director e secretaria, que vai acolher 350 alunos em dois turnos – estão orçadas em mais de 19 milhões de kwanzas.
O administrador de Tando-Zinze, Ndimba Tati, salientou a importância da escola, que vai acolher centenas de crianças, referindo que a falta de infra-estruturas com condições não só dificulta a aprendizagem dos alunos, como não dignifica o professor.
O pequeno Casimiro José Pitra, 9 anos, disse, no momento em que recebia do governador uma mochila, sandálias, bata e material didáctico, que antes da nova escola estudava num local descoberto e que as aulas eram interrompidas sempre que se registavam chuvas.
O governador Mawete João Baptista também inaugurou uma lavandaria comunitária na aldeia de Subantando e alguns fontanários públicos na povoação de Mbuco, na regedoria de Caio.
 O referido projecto beneficia cerca de 11 mil cidadãos que habititam maioritariamente na orla marítima de Cabinda.

Tempo

Multimédia