Províncias

Vice-governador quer conclusão do Centro de Análise Ambiental

O vice-governador de Cabinda para área técnica, António Manuel Gime, considerou ontem ser necessário encontrar mecanismos para concluir, em 2010, os trabalhos em curso no Centro de Análise de Qualidade Ambiental e de Recursos Marinhos do Caio.

O vice-governador de Cabinda para área técnica, António Manuel Gime, considerou ontem ser necessário encontrar mecanismos para concluir, em 2010, os trabalhos em curso no Centro de Análise de Qualidade Ambiental e de Recursos Marinhos do Caio.
Falando no final de uma visita àquela obra, o responsável disse haver morosidade e que o governo está preocupado, razão pela qual é necessário encontrar esses mecanismos.
Durante a visita de algumas horas aos empreendimentos, nomeadamente ao laboratório central e a três residências para os técnicos, Manuel Gime constatou haver atrasos na conclusão das obras, moldadas em 2002 e iniciadas em 2007, pela empresa local de construção civil, Pereira Neves e lamentou o facto de a obra ter a comparticipação de quatro instituições: governo da província, Chevron e os ministérios da Agricultura e Ambiente. “As comparticipações, às vezes, complicam a rápida conclusão de uma obra, porque uns comparticipam e outros atrasam, e fica-se com dificuldades em cumprir os prazos de entrega”.
A obra está orçada em mais de dois milhões de dólares e o governo e a Chevron já honraram os seus compromissos, faltando o Ministério do Ambiente e da Agricultura, em termos de comparticipação.
 O vice-governador, que se fez acompanhar pelos secretários provinciais das Obras Públicas, José António Martins Buiti, e da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, João Tati Luemba, pediu que o sector das Obras Públicas e a empreiteira definam políticas rápidas para dar maior dinâmica à obra.

Tempo

Multimédia