Províncias

Violência doméstica aumenta em Cabinda

Joaquim Suami

Um total de 72 casos de violência doméstica foram registados este ano até Abril, inclusive,na província de  Cabinda, pela Secretaria Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

Fotografia: DR

Contra os 67 de igual período do ano passado, no mesmo período, houve 67 casos. Dos casos registados este ano, 68 foram solucionados, com destaque para os de violência física, psicológica, privatização de bens da família, fuga à paternidade e prestação de alimentos, na base da lei 25/11, de 14 Julho, o que permitiu o retorno à paz, união,  sossego, tranquilidade e bem-estar em várias famílias.  
A falta de prestação de alimentação aos filhos contou com 31 casos, seguindo-se os de privação de liberdade (com sete), fuga à paternidade (com quatro), privatização de bens da família (com três), violência física e psicológica (com quatro). 
O chefe de departamento da política familiar, Wilson Sinadinse, disse que apesar do número de casos ter aumentado, a Secretaria Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher tem estado a trabalhar na sensibilização das famílias, com a divulgação da lei 25/11, de 14 de Julho, através da realização de palestras, debates radiofónicos e encontros com vários estratos da sociedade local, que contribuem na resolução dos problemas de violência na região.
“A violência doméstica é um problema que atinge mulheres, homens, adolescentes e crianças e tem causado vários danos à nossa sociedade. Na luta de diminuirmos os índices de violência na província de Cabinda, temos promovido palestras, debates radiofónicos e encontros com vários estratos da sociedade, com o objectivo de salvaguardar os direitos dos lesados”, disse Wilson Sinadinse.
Afirmou que antes da implementação da lei contra a violência doméstica, as pessoas andavam às cegas e eram mais vítimas, sem a possibilidade de verem os seus direitos salvaguardados.
 “O cidadão está mais informado sobre os seus direitos e com o surgimento da lei temos estado a resolver vários problemas que contribuem na diminuição dos índices de violência. Ninguém gosta de ver os seus direitos a serem violados. Este problema não faz bem ao ser humano, porque só traz tristeza no seio das pessoas”, explicou. 
Durante o ano passado a Secretaria Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher registou 247 casos de violência doméstica, dos quais 239 foram resolvidos.

Tempo

Multimédia