Províncias

Cadeira de Terapia Equina no Instituto de Tundavala

Domingos Mucuta | Lubango

O Instituto Superior Politécnico Tundavala (ISPT), na Huíla, vai este ano implementar, no seu plano curricular, a cadeira de Terapia equina, como uma vertente de complementaridade dos cursos de psicologia clínica, enfermagem e fisioterapia, informou quinta-feira a directora pedagógica da instituição.

Exibição de aulas práticas da cadeira de terapia equina do curso de medicina no Instituto
Fotografia: Arimateia Baptista

Janaina Gonçalves esclareceu que a Terapia equina é um importante meio prático de apoio aos estudantes dos cursos de psicologia clínica, enfermagem e fisioterapia e de tratamento de crianças com uma grande deficiência motora e mental.
Neste ano lectivo, o Instituto Superior Politécnico Tundavala (ISPT) tem disponíveis cerca de 500 vagas para os cursos de psicologia clínica, enfermagem, fisioterapia, comunicação social, relações internacionais, contabilidade e gestão, engenharia civil, engenharia do ambiente e  engenharia agronómica. As inscrições decorrem até ao fim deste mês.
A directora pedagógica do ISPT garantiu estarem criadas todas as condições para que os estudantes tenham uma formação com qualidade, tendo em conta que o instituto possui laboratórios de várias especialidades devidamente equipados, segundo exigência do Ministério do Ensino Superior.
Instituição pioneira na formação de técnicos superiores de engenharia civil e com mais de 100 docentes, o ISPT prevê  introduzir no próximo ano o curso de Design, cuja  proposta curricular foi remetida ao Ministério do Ensino Superior para aprovação.
O ISPT foi criado em 2009 e conta com 26 salas de aulas, bibliotecas, anfiteatros, gabinetes administrativos, campos polivalentes e outras infra-estruturas distribuídas por um campus universitário, capaz de acolher 1.700 estudantes. A directora pedagógica do ISPT assegurou que os técnicos formados na instituição adquirem competências que lhes permitem imporem-se no mercado e que antes de apresentarem a dissertação das suas teses de licenciatura, os finalistas frequentam estágios em empresas públicas ou privadas.

Tempo

Multimédia