Províncias

Cambulo ganha em breve mais unidades sanitárias

Armando Sapalo | Dundo

A rede sanitária da província da Lunda-Norte vai ser reforçada com um novo hospital sanatório e outro materno-infantil, cujas obras começam ainda este ano, de acordo com o governador Ernesto Muangala.

Novo hospital materno-infantil vai ajudar a diminuir o índice de mortalidade na região
Fotografia: Edições Novembro

O governador da Lunda-Norte explicou que as duas unidades hospitalares, com financiamento garantido por via da “Linha de Crédito dos  Eurobonds”, vão ser erguidas na vila do N´zagi, para atender toda a população do município do Cambulo.
O novo hospital sanatório, para o tratamento da tuberculose e outras doenças infecto-contagiosas, foi projectado para substituir o actual, localizado no bairro Catangula, no N´zagi, que existe há cerca de cem anos.
O actual hospital sanatório do Cambulo, segundo o governador Ernesto Muangala, médico de profissão, encontra-se em avançado estado de degradação.
Segundo o governador provincial da Lunda-Norte, foi planeada a construção de um novo hospital sanatório no quadro das obras que tinham sido projectadas para o Programa de Investimentos Públicos de 2014, que, por falta de financiamento, transitaram para o presente exercício económico.
Por iniciativa da Presidência da República, explicou Ernesto Muangala, estão assegurados os recursos para a implementação do projecto, que, conforme garantiu, deve arrancar ainda este ano, com o lançamento de um concurso público para as empreitadas. “Já temos os recursos financeiros disponibilizados pelo Executivo angolano”, disse Ernesto Muangala, quando se dirigia aos trabalhadores do hospital sanatório do Catangula, no município do Cambulo.
Nesse momento, referiu, estão a ser localizados os espaços para a construção das duas infra-estruturas, sendo que o hospital sanatório deve preferencialmente ser construído num perímetro fora do centro da vila do N´zagi, para se acautelar a questão da biossegurança.
Ernesto Muangala aproveitou a sua deslocação ao município do Cambulo para entregar medicamentos destinados às diferentes fases de tratamento da tuberculose, bens alimentares, uma ambulância e outros meios para o uso hospitalar.
“Chegou-nos a informação de que os doentes internados e trabalhadores do hospital sanatório do Catangula só estavam a ter uma refeição por dia, mas a partir de agora vão ter mais duas e até deviam ser três, incluindo a ceia”, disse o governador.
Segundo Ernesto Muangala, durante a distribuição das refeições devem ser contemplados também os trabalhadores, para salvaguardar a saúde dos mesmos.
O governador disse ter encontrado dois trabalhadores do hospital sanatório do Catangula infectados com tuberculose e que estão internados, a receber  tratamento. Uma situação idêntica, acrescentou, foi registada no hospital provincial sanatório do Sacavula, no Dundo, em que seis trabalhadores ficaram contaminados.

Pacientes
No hospital Sanatório de Catangula estão nesse momento internados trinta pacientes com tuberculose, entre os quais três crianças, oito mulheres e 19 homens, na sua maioria ligados à actividade de garimpo de diamantes e agricultura, disse o director clínico da referida  unidade sanitária.
Dambo Diumi explicou que dos doentes internados no Sanatório de Catangula seis padecem de tuberculose associada ao VIH/SIDA, mas garantiu que o seu estado clínico evolui satisfatoriamente.
O funcionamento do hospital, com 55 camas, segundo o director clínico, é assegurado por 46 trabalhadores, dos quais dois médicos de clínica geral e dez enfermeiros. A unidade sanitária, disse, tem assegurados os serviços de água potável e de energia eléctrica.
Com um laboratório clínico e uma farmácia interna, o hospital conta, desde terça-feira, com os serviços de Raio-X, devidamente equipados, e com um técnico para a referida área, que foi apresentado pelo governador Ernesto Muangala.

Tempo

Multimédia