Províncias

Camponeses beneficiam de crédito

Arão Martins | Quipungo

Mais de 800 camponeses dos municípios de Caconda, Caluquembe, Chicomba, Matala e Quipungo, na província da Huíla, beneficiam de crédito de campanha para aumentar a produção agrícola, anunciou ontem o director Provincial da Agricultura.

Campanha agrícola na província da Huíla foi aberta pelo governador João Marcelino Tyipinge
Fotografia: Arão Martins | Quipungo

Lutero Campos  falava na abertura da campanha agrícola 2015-2016 e  informou que numa primeira fase, os Bancos de Poupança e Crédito (BPC), Sol  e  Comércio e Indústria estão a operacionalizar o crédito para a produção do milho e, na segunda, entre os meses de Janeiro e Fevereiro de 2016, o feijão. A  terceira fase compreende os meses de Abril e Maio, nos quais deve ser processado o crédito para  a batata rena.
O director provincial da Agricultura disse que se trata de um crédito contínuo e que numa  primeira fase foram disponibilizados 18 milhões de kwanzas, sublinhado que mais  municípios são abrangidos proximamente.
Lutero Campos pediu aos beneficiários para fazerem o reembolso dos valores dentro dos prazos estipulados para permitir que mais pessoas beneficiem dos próximos programas do crédito de campanha agrícola.
Para a presente campanha agrícola, disse, foram preparados 605 mil hectares, mais cinco mil em relação à campanha passada,  referindo que 280 mil famílias camponesas estão directamente envolvidas na produção de cereais nos municípios de ­Caluquembe, Cacula, Caconda, Chibia, Chipindo, Quilengues, Chicomba, Jamba, Cuvango, Lubango, Humpata, Gambos, Matala e Quipungo.

Operacionalidade dos bancos

O responsável do microcrédito do Banco Sol na Huíla, Gesse Jeremias, disse que o Programa  de Aquisição de Produtos do Campo (PAPAGRO) também está inserido no processo para auxiliar os camponeses no escoamento e venda dos seus produtos, bem como no reembolso dos valores.
“No âmbito do programa, há uma coordenação que envolve os   Ministérios da Agricultura, Economia e Comércio”,  referiu Gesse Jeremias.  Em relação às modalidades do funcionamento do crédito de campanha, Gesse Jeremias explicou que para  obter o empréstimo, o camponês faz a listagem dos meios de que precisa para desenvolver a sua actividade e, depois, pede uma factura proforma a um fornecedor que é entregue ao  banco, que procede à sua ligação.
Desidério Ndala, técnico de microfinanças do Banco de Poupança e Crédito na Huíla, esclareceu que várias famílias têm vindo a beneficiar de créditos da instituição dentro dos programas pré-estabelecidos, contribuindo de forma significativa na melhoria da sua qualidade de vida. Em 2013, sublinhou, o BPC concedeu à província da Huíla créditos na ordem dos 224 milhões de kwanzas  para os municípios da Matala, Quipungo, Lubango e Cacula, nos quais foram financiadas   50 cooperativas de camponeses e associações, beneficiando 499 famílias

Combate à pobreza

O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, disse na abertura da campanha agrícola que o Executivo vai continuar a apoiar a população para intensificar a produção do campo agrícola e combater à  pobreza.
 João Marcelino Tyipinge sublinhou que milhares de famílias camponesas da Huíla receberam apoio do governo através do crédito de campanha e apelou aos camponeses a aproveitarem a época chuvosa para produzirem quer para o auto-sustento quer para a comercialização.
“Ao terem feijão, mandioca, milho, massambala, massango suficiente para comer e vender, as famílias   conseguem obter vestuário e material escolar para os filhos e outros bens de primeira necessidade”, sublinhou o governador provincial, notando que nos município do Quipundo,  Matala, Caluquembe, Chipindo, Cuvango, Jamba e Chibia existem condições para produzir alimentos em quantidade para ajudar a combater a  pobreza.
Os bancos estão a trabalhar com o Governo para transformar o dinheiro em produtos para ajudar a fortalecer a actividade dos camponeses, concluiu Marcelino Tyipinge.

Tempo

Multimédia