Províncias

Camponeses recebem créditos agrícolas

Manuel Tomás| Sumbe

O Banco de Poupança e Crédito, no Kwanza-Sul, garante disponibilizar crédito agrícola, no valor de 75 milhões de kwanzas, a várias famílias camponesas organizadas em cooperativas ou associações, garantiu na quarta-feira o presidente provincial da União Nacional dos Camponeses de Angola, David Nunes.

Apoio visa o aumento da produção no âmbito do programa de combate à fome
Fotografia: Pedro Miguel

 

O Banco de Poupança e Crédito, no Kwanza-Sul, garante disponibilizar crédito agrícola, no valor de 75 milhões de kwanzas, a várias famílias camponesas organizadas em cooperativas ou associações, garantiu na quarta-feira o presidente provincial da União Nacional dos Camponeses de Angola, David Nunes.
O responsável deu esta garantia durante o lançamento da campanha agrícola e adiantou que, com o crédito, o Governo perspectiva minimizar os problemas que os camponeses enfrentam no quotidiano, fundamentalmente no combate à fome, assim como à erradicação da pobreza, com a aquisição de meios para a prática de uma actividade agro-pecuária mais rentável.
Para isso, foram criados, a nível dos municípios, comités técnicos de acompanhamento para, junto dos grupos solidários de camponeses, proceder à recepção e análise dos processos dos interessados a habilitarem-se ao crédito, para posteriormente se remeter ao banco credor.
Cada grupo terá um número que varia entre 30 e 50 pessoas e o valor estipulado para cada pessoa é de cinco mil dólares norte-americanos.
David Nunes esclareceu que o crédito agrícola é extensivo a todos os municípios, nos quais operam os bancos comerciais seleccionados para esta actividade, designadamente o BPC, Banco Sol, BCI e o BAI-microcrédito.
Segundo ele, a estatística da UNACA aponta para a existência de 159 cooperativas e 659 associações de camponeses na província.
Afirmou ainda que os camponeses lamentam a irregularidade das chuvas, especialmente no litoral, e as más condições das estradas, factor que tem contribuído negativamente para o escoamento dos produtos agrícolas para os principais mercados do país.

Tempo

Multimédia