Províncias

Camponeses têm apoio para aumentar a produção

Arão Martins | Caluquembe

A capacidade produtiva das famílias camponesas e agricultores vai aumentar com a cedência de crédito financeiro, convertido em equipamentos e sementes, em benefício de 21 associações e cooperativas, tendo em vista a campanha agrícola 2016/2017, que começa no próximo mês, no município de Caluquembe, na província da Huíla.

Feira apresenta as potencialidades agrícolas do município de Caluquembe
Fotografia: Arão Martins | Caluquembe

O administrador municipal de Caluquembe, José Tchissonde, que prestou a informação, durante a XIX edição da exposição dos produtos do campo, que decorreu até domingo, no recinto do campo de futebol 11 da sede municipal, disse que o processo de cedência de crédito já começou e tem um valor global de 41 milhões de kwanzas, que está a ser disponibilizado pelo Banco de Comércio e Indústria (BCI).
José Tchissonde explicou que o financiamento vai permitir aumentar a capacidade de produção de cereais como milho, massango, massambala, jinguba, gergelim e soja, bem como café, batata rena e doce, aos camponeses e agricultores associados das comunas de Calepi, Negola e na sede Sandula.
O administrador municipal de Caluquembe esclareceu que, à semelhança das acções anteriores, o valor a ser cedido permite adquirir fertilizantes, sementes, instrumentos de trabalho como enxadas, charruas, catanas, limas e gado de tracção animal. O valor é reembolsável nos prazos estabelecidos, com juros bonificados.
Segundo o administrador municipal de Caluquembe, nos anos anteriores, os camponeses e agricultores locais beneficiaram de financiamentos dos bancos Sol e de Poupança e Crédito (BPC). Acrescentou que, independentemente de o processo requerer uma tramitação burocrática, por causa do retorno do valor, os ganhos são positivos.
José Tchissonde garantiu existirem boas relações entre a Administração Municipal de Caluquembe e os bancos instalados na circunscrição e não só, o que tem propiciado um ambiente salutar no financiamento dos programas dirigidos.
Os empresários, camponeses e agricultores do município de Caluquembe, informou, têm tido sucesso nos programas de financiamento, no âmbito do crédito de campanha de investimento agrícola, micro crédito e do Angola Invest, programas do Executivo voltados à solução dos principais problemas que afectam a população.

Valorização da produção

A produção do milho no município de Caluquembe está mais valorizada, segundo o administrador José Tchissonde, tendo em conta que antes o quilograma de milho, por exemplo, custava 35 kwanzas e actualmente aumentou para cerca de 90 kwanzas.
O ganho, disse, é uma demonstração da valorização da produção do campo. A partir da produção do campo, salientou, o cidadão consegue criar rendimento, sustentar a família e formar os seus filhos. “Vamos continuar a incentivar, motivar os agricultores a continuarem a trabalhar e transmitir o legado aos jovens”, afirmou.
Aos jovens, José Tchissonde exortou no sentido de estarem organizados em associações, pois, esclareceu, é mais fácil apoiar uma associação do que um empreendedor isolado. Explicou que uma cooperativa dispõe de uma estrutura jurídica, que permite prestar contas, criar assembleia de sócios e periodicamente­­ ­fazer o balanço do que se faz. Caluquembe, indicou, é um município que tem tudo para crescer nas vertentes económica, social e desportiva. O administrador disse que é objectivo da administração municipal “ajudar a criar uma nova geração de empresários, de empreendedores e produtores, para participarem efectivamente no desenvolvimento da região”.
A administração municipal está disponível para apoiar iniciativas que visam proporcionar o bem-estar da população e produzir alimentos em grande escala, garantiu o administrador José Tchissonde. O administrador municipal anunciou a abertura, nos próximos tempos, de um balcão do Banco Africano de Investimentos (BAI). Explicou que a abertura da nova agência, no município, vai aumentar a capacidade e a diversidade dos empresários e empresas, bem como permitir aos cidadãos e funcionários públicos efectuar, com mais solidez, as transacções financeiras. Esclareceu que, no município, já funcionam agências do BPC, BFA e BAI.
Os participantes da XIX edição da Expo-Caluquembe defenderam a necessidade  de reforçar-se o controlo da produção feita no município. Foram expostos no certame produtos como milho branco, amarelo, farinha de milho, batata, jinguba, mandioca, cebola, cenoura e café. Estiveram ainda à disposição serviços prestados pelo sector da Saúde e da Educação, entre outros.
A secretária-geral do núcleo da Associação Agro-pecuária, Comercial e Industrial na Huíla (AAPCIL), no município de Caluquembe, Vitória Ribas, disse que a região produz, em grande escala, milho, massango, massambala, batata e hortícolas.
Sobre a Expo-Caluquembe, onde participaram trinta expositores oriundos das comunas do Calepi, Negola, Sandula e alguns da Caconda e de Chicomba, Vitória Ribas disse que serviu mais uma vez para demonstrar o potencial existente na região e o compromisso da participação da população na produção de diversos alimentos em grande escala

Tempo

Multimédia