Províncias

Candidatos disputam vagas no centro de formação de professores

Venâncio Victor |Malanje

Ao todo, 740 candidatos inscritos no Centro de Formação de Professores da província de Malange, ex-IMNE, disputam as 650 vagas disponíveis para o presente ano académico.

Ao todo, 740 candidatos inscritos no Centro de Formação de Professores da província de Malange, ex-IMNE, disputam as 650 vagas disponíveis para o presente ano académico.
 Em entrevista concedida sexta-feira, em exclusivo, ao Jornal de Angola, o director da instituição, André Simão, precisou que a escola optou pelos exames de aptidão para avaliar o nível de conhecimentos dos candidatos, já que é importante que ao ingressar numa instituição do género se tenham as noções mínimas de ortografia e conhecimentos de gramática, disse.
 Do número de vagas disponíveis para este ano lectivo, 30 por cento estão reservadas para os candidatos que são professores, têm a nona classe e querem aumentar o nível de escolaridade. Segundo explicou, o ingresso de 195 candidatos, que já exercem actividade docente, foi feito de forma directa, sem contudo haver necessidade de participarem nos exames de aptidão. “Sabemos que temos um leque de professores que terminaram a nona classe o ano passado e que devem elevar o seu nível intelectual. Portanto, a instituição está apostada na formação contínua, para melhorar a qualidade do ensino”, frisou.
 André Simão disse estar preocupado com o facto de muitos quadros formados na instituição estarem a servir para outros ramos, em vez do sector educacional, no qual se formaram. Por outro lado, acrescentou, os de nível médio a leccionarem no instituto têm os dias contados, pois estão a ser recrutados mais professores com formação superior e outros a caminho da conclusão das suas licenciaturas e bacharelato.
Durante o ano passado matricularam-se 3.917 alunos da 10ª à 13ª classe da reforma educativa, dos quais 317 são do género feminino.
Transitaram de classe 3.253 e 426 reprovaram, um número que não preocupa a direcção da escola, pois atingiu-se 85 por cento de aproveitamento académico.

Tempo

Multimédia