Províncias

Casa do Gaiato recebe bens alimentares

Luísa Victoriano| Malange

A Casa do Gaiato em Malanje, que acolhe mais de cem crianças, recebeu bens alimentares e uma viatura, oferta da empresa Miamop.

Foram entregues diversos bens alimentares destinados a melhorar a dieta das crianças
Fotografia: Eduardo Cunha| Malange

Dos bens alimentares entregues pela Miamop destacam-se leite, arroz, feijão, farinha de milho, açúcar, sal, óleo, sabão, massas alimentares e refrigerantes.
O estudante António José, residente na Casa do Gaiato,  agradeceu o gesto da empresa Miamop e pediu mais acções do género, para minimizar as dificuldades que o lar atravessa em termos de alimentação e vestuário dos residentes. “O gesto demonstra um sinal de amor, fraternidade e irmandade e espero que pessoas singulares e colectivas sigam este exemplo”, afirmou o responsável da Casa do Gaiato, padre Rafael Rodrigues.
O presidente executivo da empresa Miamop, Monteiro Pinto Kapunga, garantiu que a sua instituição vai continuar a promover acções de solidariedade, para proporcionar mais qualidade de vida às crianças.
A Casa do Gaiato foi criada  em Malanje, no ano de 1963. Conta actualmente com 125 rapazes, com idades compreendidas entre os 5 aos 25 anos. Além da vasta área agrícola, tem oficina, carpintaria, serralharia, pintura e electricidade.
A Casa do Gaiato foi fundada pelo Padre Américo, em Portugal, para apoiar crianças que viviam na rua ou pertenciam a famílias destruídas pela miséria reinante durante o regime salazarista. A sua obra chegou a Angola, com as casas de Malanje e Benguela.
O Pai Américo morreu num acidente de viação, perto do Porto e desde então passou a ser “Santo no Coração do Povo”.
Os padres que aderiram à sua causa mantêm de pé, há décadas, a Obra da Rua.

Tempo

Multimédia