Províncias

Casos de violência diminuem no Bengo

Mário Clemente | Bengo

A província do Bengo registou no primeiro semestre do ano em curso uma redução na ordem de 30 casos de violência doméstica, comparativamente ao ano de 2018, em que foram registadas 142 ocorrências, pelo Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade no Género.

Ângulo de Caxito onde decorrem campanhas de sensibilização
Fotografia: Edmundo EucÍlio |?Edições Novembro

A directora do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade no Género, Felisberta da Costa, disse ao Jornal de Angola que as principais causas da violência domés-tica a nível da província são o abandono da assistência ao lar, não pagamento da pensão de alimentos a menores e fuga à paternidade.

Felisberta da Costa disse que muitos pais ao separarem-se não assumem a responsabilidade de assistência alimentar dos filhos. Sublinhou que os casos mais difíceis são encaminhados ao tribunal, sobretudo para realojar com brevidade, as mães que se encontram a viver na rua com os filhos.
Segundo Felisberta da Costa, no ano passado registaram-se 65 casos de atraso na entrega de mesadas, quatro de fuga à paternidade, 18 de abandono do lar, quatro de retenção de bens, quatro de privação de liberdade e seis desalojamentos.
O Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade no Género, acrescentou, conseguiu, desde o ano passado, reconciliar 24 famílias que estavam em vias de separação.
Visando a reconciliação dos casais e a diminuição de casos de violência doméstica, o Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade no Género tem realizado palestras e campanhas de sensibilização, aconselhando a população no sentido de apostar no diálogo.
Felisberta da Costa disse que a igreja é um dos parceiros que tem ajudado para que certos casais com problemas encontrem soluções e vivam em harmonia.

Tempo

Multimédia