Províncias

Casos de violência tendem a aumentar

Mário Clemente|Bengo

O Gabinete Provincial do Bengo da Acção Social, Família e Igualdade do Género registou, de 1 a 22 de Janeiro do ano em curso, 13 casos de violência doméstica, mais três em relação a igual período do ano transacto.

Ofensas corporais destacam-se entre os casos registados
Fotografia: Edições Novembro

Dos casos registados destacam-se as privações de bens, de liberdade, bem como ofensas corporais, segundo Simão Paulo, técnico do centro de aconselhamento familiar da referida instituição, que acrescentou que dos 13 casos registados na região sete já foram solucionados e seis estão em averiguação, para o veredicto final.
O técnico avançou que em 2018 foram registados 142 casos de violência doméstica e no ano passado 125 casos. "A redução resulta da implementação algumas linhas orientadoras do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género, como a realização de palestras de sensibilização nas comunidades, bem como visitas ao domicílio das vítimas, após um processo de aconselhamento, no sentido de ver como é que as partes estão a gerir o relacionamento". disse. As localidades de Panguila e de Caxito, acrescentou, são as que mais dão entrada de casos de violência e “temos conseguido dar o devido tratamento”.
Simão Paulo deu a conhecer que, para este ano, estão em carteira vários projectos, como palestras, campanhas de sensibilização, visitas ao domicílio das vítimas e a distribuição de cartilhas com informação sobre a violência doméstica.
Consta ainda da agenda deslocações aos municípios, para se fazer um levantamento dos centros existentes, por formas a aferir como tem sido o tratamento dos casos de violência doméstica.
Segundo Simão Paulo, o Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género conta com apensa três técnicos, insuficientes para o normal funcionamento da instituição, sendo necessários, pelo menos, mais 12 especialistas em aconselhamento familiar, pois a região possui seis municípios.
Quanto aos especialistas em direito da família, disse, o Bengo tem apenas dois técnicos, sendo um superior e outro de terceira, mas seria necessário mais seis.

Tempo

Multimédia