Províncias

Centenas de cidadãos conseguem emprego através do Instituto de Formação Profissional

Na província do Huambo, 2.348 cidadãos conseguiram o seu primeiro emprego entre 1997 e Novembro do corrente ano, após terem submetido os seus currículos profissionais à direcção provincial do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (Inefop).

A alfaiataria faz parte do leque de profissões que estão a ser ministradas no país
Fotografia: João Gomes

Na província do Huambo, 2.348 cidadãos conseguiram o seu primeiro emprego entre 1997 e Novembro do corrente ano, após terem submetido os seus currículos profissionais à direcção provincial do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (Inefop), informou ontem a chefe de secção de emprego, Alice Furtado.
Os referidos cidadãos, na sua maioria jovens, foram recrutados por empresas estrangeiras e nacionais, com maior incidência para as de construção civil que estão a executar diversas obras enquadradas no processo de reconstrução da província e necessitam de pedreiros, canalizadores, electricistas, ladrilhadores, carpinteiros, serralheiros e operadores de máquinas.
Durante este mesmo período, a instituição recebeu 24.154 processos de solicitação de emprego, bem como 2.473 ofertas de trabalho, que foram preenchidas por cidadãos que reuniam os requisitos exigidos pelas entidades empregadoras.
Segundo Alice Furtado, existem empregos disponíveis, mas alguns não são preenchidos devido ao fluxo migratório das populações, à forte presença do mercado informal, à escassa cultura de procura dos centros de emprego, à falta de qualificação profissional e à não divulgação das vagas por parte das entidades empregadoras.
A Angop apurou que 12.848 cidadãos foram formados profissionalmente, na província do Huambo, com o objectivo de satisfazer a cada vez maior procura de mão-de-obra qualificada e necessária para o pleno desenvolvimento sócio-económico da região. Os cursos de informática, electricidade, pedreiro, gestão e contabilidade, pastelaria, carpintaria, serralharia, canalização e mecânica são aqueles que registaram maior adesão dos candidatos.

Tempo

Multimédia