Províncias

Centenas de crianças estudam ao ar livre

Arão Martins | Lubango

A província da Huíla tem 134 escolas ao ar livre, que correspondem a 4.357 turmas, que acolhem 174.280 crianças do ensino primário ao secundário do I ciclo, disse, ao Jornal de Angola, o porta-voz do Gabinete Provincial da Educação, Benício Puna.

Fotografia: DR

“As escolas estão catalogadas, têm directores nomeados, com trabalhadores administrativos”, explicou Benício Puna, acrescentando que as comunas da Huíla, Arimba e Quilemba, no Lubango, Chibia, Caluquembe e Chicomba são as regiões com mais alunos a frequentarem aulas ao ar livre.   
Por falta de salas de aula e professores, informou, o Gabinete Provincial da Educação tem ainda o registo de 339.840 crianças fora do sistema de ensino.
Disse que o número é preocupante e o Executivo, através do Governo Provincial da Huíla, está a trabalhar para se inverter o quadro, com a construção de mais escolas. Segundo Benício Puna, a província da Huíla tem 1.843 escolas em perfeitas condições. Por outro lado, a directora da escola nº 449, na localidade de Cinzento, arredores da sede municipal da Chibia, disse que, desde a sua abertura, em 2003, mais de 650 alunos frequentam aulas ao ar livre.
Segundo Brizana Fernando, a escola funciona com 17 turmas e a “grande” preocupação é quando chove e/ou quando há muito sol e fortes ventos.
“Quando há muito vento caem cobras das árvores e é um perigo para as crianças e professores”, disse, acrescentando que “não temos qualquer parede que indica a existência de uma estrutura. Trabalhamos por baixo de árvores, os alunos sentam-se em pedras e os quadros são pendurados nos ramos das árvores. Esse tem sido o nosso dia-a-dia”, lamentou Brizana Fernando.
A directora do Gabinete Provincial da Educação, Paula Joaquim, disse que a preocupação vai ser apresentada às instâncias superiores, para a construção de uma escola na localidade, porque as actuais condições influenciam negativamente no sistema de ensino e aprendizagem.

Tempo

Multimédia