Províncias

Centenas de jovens no Cunene são formados em artes e ofícios

Carlos Miguel| Ondjiva

O Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional na província do Cunene formou o ano passado 324 jovens em diversas especialidades de artes e ofícios nos vários centros da cidade de Ondjiva.

Foram ministrados cursos de carpintaria, alvenaria, mecânica, electricidade, informática, contabilidade e gestão
Fotografia: Venâncio Amaral

O Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional na província do Cunene formou o ano passado 324 jovens em diversas especialidades de artes e ofícios nos vários centros da cidade de Ondjiva.
O director provincial da Administração Pública, Emprego e Segurança Social do Cunene, Oliveira Albino da Cruz, disse que do total de jovens formados, 194 são do centro de formação profissional de Oifide, arredores de Ondjiva, e 130 da escola implantada na cidade capital.
Os jovens aprenderam técnicas nas especialidades de carpintaria, alvenaria, mecânica auto, electricidade, informática, contabilidade e gestão e construção Civil. Os últimos formados receberam ontem, em Ondjiva, os seus diplomas. Oliveira da Cruz assegurou que a partir de agora as empresas da região podem contar com uma mão-de-obra profissionalizada, motivada e cheia de energia para participar na reconstrução da província e do país.
Aos jovens recém formandos, o director apelou para aplicarem na prática os conhecimentos aprendidos e terem iniciativas, “porque o mundo do trabalho é complexo”. Apelou ainda às autoridades do município para sensibilizarem os jovens no sentido de aderirem em massa aos centros de formação profissional.
Para o presente ano, Oliveira Albino da Cruz anunciou a introdução de novos cursos nos centros de formação, a partir do mês de Fevereiro, como de canalizadores, de mecânicos de frio e de ladrilhadores. Em breve começam as acções de formação no Pavilhão de Formação de Artes e Oficio de Xangongo, para alem da construção de outro pavilhão nos municípios da Cahama e do Curoca.
O formando José Domingos, em nome dos colegas formados, agradeceu o apoio dos Governo central e local, do MAPESS, do INEFOP e dos formadores pela oportunidade de frequentarem a formação profissional e salientou que todos estão cientes da responsabilidade que lhes foi confiada no exercício das suas actividades.
Apelou a outros jovens sem formação profissional a aderirem aos pavilhões de formação de artes e ofícios existentes na província.

Tempo

Multimédia