Províncias

Central de captação de água em construção

Cláudia Muhatili e Lourenço Bule | Menongue

Uma nova central de captação, tratamento e distribuição de água potável começa a ser construída a partir deste mês na localidade de Calupassa, arredores da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, para reforçar o fornecimento do precioso líquido a mais de 150 mil habitantes.

Governador Higino Carneiro no acto de colocação da primeira pedra que marca o arranque da construção da nova central de captação
Fotografia: Nicolau Vasco

Para o efeito, o governador da província do Kuando-Kubango, Higino Carneiro, procedeu na última quarta-feira a colocação da primeira pedra para a construção da referida infra-estrutura.
A referida central de captação de água potável será construída nas margens do rio Kwebe, a quatro quilómetros da cidade de Menongue.
As obras de construção da nova central de captação, tratamento e distribuição de água potável, a cargo da empresa chinesa Sinohydro, estão avaliadas em mais de 45 milhões de dólares.
Com a duração de dois anos, para a sua construção, a central de captação terá capacidade para bombear 11 mil metros cúbicos de água por dia.
O empreendimento vai contar ainda com um tanque de armazenamento de água, com capacidade para dois mil metros cúbicos, e com equipamentos de apoio, nomeadamente dois geradores, duas bombas de água, área de tratamento de resíduos e leito de secagem.
O governador da província do Kuando-Kubango, Higino Carneiro, salientou que este projecto está a ser construído no quadro das várias acções que o Executivo está a implementar em todo o país e que visa melhorar o abastecimento de água potável a todas as populações.
Acrescentou que a intenção da construção da nova central de captação de água na cidade de Menongue surge na medida em que o actual sistema, construído no período colonial, se encontra em estado avançado de degradação.
Higino Carneiro realçou que a estratégia de inclusão de um novo sistema de água para mais de 150 mil habitantes visa atrair mais investidores nacionais e internacionais para a região.

Doação de produtos


Pelo menos 54 crianças desfavorecidas e em conflito com a lei a viverem no centro de acolhimento Mbembwa, na cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, beneficiaram de caixas de leite, bolachas e pastas de dente doados pela Agência de Manequins e Modelos “Hadja Models”.
O coordenador do centro de acolhimento Mbembwa, João Bartolomeu, acrescentou que foram ainda entregues pela agência Hadja Models sambapitos, escovas, cadernos, esferográficas e lápis.
“Não temos como agradecer este gesto, tendo em vista que os meios entregues vão suprir algumas dificuldades que o centro tem estado a passar diariamente desde a morte do seu responsável, Padre João Bosco, no princípio do ano passado”, acrescentou.
Fez saber que neste momento, o centro de acolhimento Mbembwa enfrenta dificuldades de falta de salas de aula, dormitório condigno, refeitório e guarnição, situação que tem vindo a perigar a vida das crianças.
Por essa razão, apelou às outras organizações e pessoas singulares no sentido de seguirem o mesmo gesto solidário da agência de manequins e modelos “Hadja Models.
O promotor do evento e director da agência “Hadja Models”, Hadjalmar El Vaim, disse à imprensa que o projecto “Moda Solidária”, que a sua instituição tem estado a realizar, tem como objectivo arrecadar fundos para ajudar lares e centros de acolhimento em todo o território nacional, com vista a minimizar algumas carências que enfrenta.
Hadjalmar El Vaim salientou que a par do Kuando-Kubango, este projecto já decorreu nas províncias de Luanda e Benguela.
“Somos de opinião que as crianças não devem ser valorizadas só no mês de Junho e no Natal, mas sim todos os dias, porque elas são o futuro do país e portanto temos que os cuidar no presente para que possamos ter um futuro sadio”, disse.
A madrinha do centro de acolhimento Mbembwa, Ana Maria Carneiro, apelou às pessoas singulares e colectivas a aderirem à causa, “que visa dar alegria a estas crianças que tantos merecem, uma vez que são o futuro do país”.
Igualmente esposa do governador provincial, Higino Carneiro, Ana Carneiro referiu que tem recebido alguns apoios das Igrejas, de Organizações não-governamentais, Ministério da Reinserção Social (MINARS) e de várias empresas e pessoas singulares que têm visitado o referido centro.

Tempo

Multimédia