Províncias

Centro de reabilitação produz dezenas de próteses

Adolfo Mundombe | Huambo

O Centro de Reabilitação Física Agostinho Neto, situado na Bomba Alta, Huambo, tem capacidade para fabricar, por dia, com o material produzido localmente, cem muletas e dezenas de outros materiais, como por exemplo próteses, revelou o seu director, José Tchiyoca.

O Centro de Reabilitação Física Agostinho Neto, situado na Bomba Alta, Huambo, tem capacidade para fabricar, por dia, com o material produzido localmente, cem muletas e dezenas de outros materiais, como por exemplo próteses, revelou o seu director, José Tchiyoca.
O centro produz também braçadeiras para muletas e fornece o seu produto às vizinhas províncias do Kuando-Kubango, Kwanza-Sul, Benguela, Bié e Malange. Além de serviços de ortopedia, presta também assistência nas áreas de medicina, pediatria e outras da saúde.
José Tchiyoca assegurou que o centro tem feito tudo para atender à demanda de pacientes, que solicitam sobretudo muletas. Todo o material e serviços são dados gratuitamente.
O responsável do centro sublinhou que houve falta de produtos, por algum tempo, devido à uma avaria no gerador de energia do centro. Mas, garantiu, o problema estará brevemente resolvido.
O centro conta com o apoio do Governo central, através do Programa de Investimentos Públicos. “Tivemos parceria da Cruz Vermelha, mas terminou há dois anos”, disse. Actualmente o centro tem vínculos com o Brasil, a África do Sul e está a encetar contactos com a Suíça para aquisição de material O Centro de Reabilitação Física Agostinho Neto funciona com 106 trabalhadores, distribuídos por diferentes áreas, e conta também com dois médicos estrangeiros. José Tchiyoca disse que a instituição precisa de uma ambulância, para facilitar a transportação dos deficientes físicos para o Hospital Central do Huambo. O director revelou que o centro está também a negociar com parceiros para a montagem da tecnologia de ponta na linha de treinamento de correcção de marcha.

Tempo

Multimédia