Províncias

Centro ortopédico sem produção no Planato central

O Centro Ortopédico Doutor António Agostinho Neto, localizado no bairro da Bomba Alta, na província do Huambo, deixou de produzir próteses há mais de um ano, por falta de meios técnicos, apurou sexta-feira o Jornal de Angola.

Um funcionário ligada à linha de produção de próteses do centro, que preferiu anonimato, referiu que a oficina encontra-se paralisada e os poucos trabalhos que são feitos cingem-se apenas à reparação de peças degradadas que os pacientes levam para conserto.
No passado, o centro ortopédico produzia entre 70 e 90 próteses por dia e 120 a 150 pares de muletas mensalmente, números que satisfaziam as solicitações feitas em todo o país.
O funcionário disse que a maioria das solicitações de próteses e muletas eram das províncias de Benguela, Huíla, Cuando Cubango, Moxico e Bié, além dos portadores de deficiências locais.
A equipa de reportagem do Jornal de Angola procurou contactar a direcção do centro para abordar o assunto, mas esforços nesse sentido foram em vão, uma vez que esta mostrou indisponibilidade.
Fundado em 1979, com o objectivo de ajudar a recuperação de pessoas portadoras de deficiências físicas e fabricação de próteses, o Centro Ortopédico Dr. António Agostinho Neto foi o primeiro da especialidade criado no país.

Tempo

Multimédia