Províncias

Cidade de Wako Kungo regista grandes melhorias

Casimiro José | wako-Kungo

A cidade do Wako Kungo, sede do município da Cela, celebrou no dia 6 deste mês, 42 anos desde a sua elevação à categoria de cidade, com uma avaliação positiva, em termos de crescimento e desenvolvimento.

São inúmeras as realizações que a cidade vem conhecendo nos últimos tempos no âmbito do programa de aumento de serviços básicos
Fotografia: Casimiro José | Wako Kungo

 A cidade do Wako Kungo, sede do município da Cela, celebrou no dia 6 deste mês, 42 anos desde a sua elevação à categoria de cidade, com uma avaliação positiva, em termos de crescimento e desenvolvimento.
São inúmeras as realizações que a cidade vem conhecendo nos últimos tempos, mercê das suas potencialidades agro-pecuárias e turísticas. Vários programas de desenvolvimento de âmbito central e local estão a ser implementados.
Além do gigante projecto Aldeia Nova, a cidade do Wako Kungo voltou a ser referência ao ser escolhida como ponto da implementação do programa de produção do leite, que visa estimular o desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas (MPME), integrado no Programa “Investir Angola”.
O administrador da Cela, Isaías Luciano, apelou no sábado aos empresários ligados ao sector do turismo a investirem na reabilitação dos locais turísticos espalhados pelo município jurisdição, visando o seu aproveitamento.
Isaías Luciano disse que a revitalização do sector do turismo traz inúmeros benefícios, não só do ponto de vista da ocupação dos tempos livres, como da geração de empregos para os habitantes da região, sobretudo dos jovens.

Destino turístico

O município da Cela é o destino de muitos turistas nacionais e estrangeiros, o que acarreta enormes responsabilidades para as autoridades municipais, no sentido da criação de condições que permitam o restauro de locais de atracção turística. Isaías Luciano considera que a exploração das potencialidades turísticas deve constar das prioridades do programa para os próximos tempos, tendo em conta os rendimentos que daí podem advir, tanto económicos como sociais.
“Temos potencialidades turísticas no nosso município, mas, por falta de investimentos, estão quase em estado de abandono, sem o seu real aproveitamento por parte dos munícipes, o que faz perder muitas receitas e oportunidades de empregos para os jovens”, frisou.
O administrador municipal da Cela citou, como exemplos de locais turísticos que devem ser reabilitados, a Fazenda Congo Agrícola, o miradouro da cidade (Morro Waku), os centro emissores da TPA e da RNA, a Capela do Monsanto, na Aldeia nº 6, o Lago dos Hipopótamos, entre outros.

Projectos sociais

No quadro do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza e dos Cuidados Primários de Saúde, há vários projectos em construção. Dentre estes, destacam-se a construção da rede eléctrica da sede comunal da Sanga,  a reabilitação dos fontanários dos bairros Quitundo e Cassamba, bem como a reabilitação paliativa da vala de drenagem de águas pluviais da cidade.
A pintura das fachadas dos  edifícios da cidade, a­­ reabilitação do parque infantil, a terraplanagem do troço entre o Comando Municipal da Polícia Nacional/Escola Maria da Silva Neto e a rua de Cuba, e a reabilitação da rede de água da sede comunal de Quissanga-Cungo, consta das principais prioridades das autoridades.
Outras acções de vulto que decorrem na sede e arredores do Wako Kungo prendem-se com a reabilitação e ampliação do hospital municipal da Cela, localizado em Quissanga-Cungo e a melhoria do sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável à cidade e arredores.
 Ainda no âmbito do Programa de Investimentos Públicos, foi já concluída a construção do mercado municipal do Waku Kungo, que aguarda por apetrechamento, a abertura das vias de acesso e a criação de espaços de estacionamento.
As autoridades municipais possuem vários outros projectos em carteira, sobretudo para os sectores da Educação, Obras Públicas (vias de acesso), Segurança e Comunicação Social, como referiu o administrador municipal da Cela, Isaías Luciano. A cidade do Wako Kungo ganhou essa denominação em 1977/78, resultado da confluência de dois morros, o Wako e o Kungo. Antes, a localidade chamava-se Santa Comba e foi considerada o melhor colonato durante a vigência do sistema colonial em Angola.

Tempo

Multimédia