Províncias

Circulação rodoviária na vila ameaçada pelas ravinas

O vice-governador do Huambo para os serviços técnicos e infra-estruturas defendeu, no sábado, na vila de Londuimbali, uma intervenção urgente para conter a evolução das ravinas que ameaçam interromper a circulação rodoviária na circunscrição.

Ravinas têm dificultado obras de reabilitação das estradas de Londuimbali
Fotografia: Jornal de Angola

O vice-governador do Huambo para os serviços técnicos e infra-estruturas defendeu, no sábado, na vila de Londuimbali, uma intervenção urgente para conter a evolução das ravinas que ameaçam interromper a circulação rodoviária na circunscrição.
José Paulo Kai manifestou a ideia ao verificar o estado das ravinas que ameaçam interromper a circulação rodoviária no troço entre Lunduimbali e a comuna de Cumbila.
O administrador municipal, Lucas Ulombe, disse que a falta de abertura de valas de drenagem ao longo da estrada está na base da origem de ravinas provocadas pelas fortes chuvas que têm nos últimos dias.
Uma equipa técnica do governo provincial já se encontra no local para estancar a evolução das ravinas ao longo da estrada Londuimbali/Cumbila.
 
Instrumentos de trabalho para famílias vulneráveis

Ao todo, 37 famílias vulneráveis de Londiumbali, a 92 quilómetros da cidade do Huambo, receberam, na sexta-feira, da Direcção Provincial de Assistência e Reinserção Social, kits profissionais, tendo em vista o fomento do auto emprego.
O acto de entrega dos kits foi orientado pelo administrador municipal adjunto, Arnaldo Katanga, que pediu aos beneficiários que estimem os meios postos à disposição. Os kits – de corte e costura, recauchutagem, sapataria, olaria, electricidade e barbearia – contemplam famílias das cinco comunas que compõem do município.
O município do Londuimbali, com 92.730 habitantes, tem dez barbearias tradicionais, 20 oficinas mecânicas e várias costureiras, olarias e serralharias tradicionais em toda a sua extensão.

Fortes chuvadas destroem culturas
 
Mais de cem hectares de milho, feijão e batata rena pertencentes a 1.200 famílias de Tchindjendje foram devastados, no sábado, pela chuva, disse, no domingo, à Angop, o chefe de repartição municipal da Agricultura.
A chuva também provocou a circulação rodoviária entre a aldeia de Sangi e a vila do município de Tchindjendje.

Tempo

Multimédia