Províncias

Colhidas toneladas de bens agrícolas

Manuel Foutoura | Ndalatando

A província do Cuanza Norte colheu cerca de 1,93 milhões de toneladas de produtos diversos durante a primeira e a segunda fase da campanha agrícola 2014/2015, numa área de 122. 213 hectares, dos quais 3.647 preparados com recursos a meios técnicos e 118.566 manualmente, disse ontem ao Jornal de Angola o chefe de Departamento de Desenvolvimento Agrário (IDA), Paulo Bungo.

Director do Desenvolvimento Agrário
Fotografia: Manuel Foutoura | Ndalatando

Grande parte dos produtos é consumida pelas famílias camponesas, por se tratar de uma agricultura de subsistência, e os excedentes são comercializados em diversos mercados do país, disse Paulo Bungo, que se mostrou satisfeito com a tendência de aumento da produção, devido à aplicação do Programa de Aquisição de Produtos Agro-Pecuários (PAPAGRO).
As áreas preparadas foram cobertas em 95 por cento em termos de cultivo e o uso e aplicação de fertilizantes ainda não está generalizado entre os camponeses nas culturas de sequeiro, pela qualidade dos solos, sendo mais recomendados nas áreas de regadio, sobretudo na produção de hortícolas, disse Paulo Bungo. Os principais produtos colhidos neste período são a mandioca, banana, milho, amendoim, feijão vulgar, macunde e hortícolas.
Durante este período foram enquadradas 75.226 famílias camponesas em toda a província, na sua maioria filiadas em associações e cooperativas agrícolas. “Infelizmente, por dificuldades de vária ordem, sobretudo financeira, muitas associações e cooperativas não estão legalizadas, apesar do esforço em motivá-las a irem ao notário”, disse.
Os líderes das associações e cooperativas dos municípios de Cazengo e Golungo Alto participaram em seminários sobre a importância da horticultura na dieta alimentar das populações, técnicas agrícolas modernas, pragas e doenças e uso de fertilizantes, acções enquadradas no Programa de Combate à Fome e à Pobreza.
No  quadro da assistência técnica, equipas da Estação de Desenvolvimento Agrário fizeram várias demonstrações junto dos camponeses sobre o uso correcto do compasso, selecção de sementes, número de sementes por cada cova e sua profundidade, comprimento ideal da estaca a plantar, dentre outras, referiu Paulo Bungo, acrescentando que foram distribuídas 60 toneladas de sementes diversas e igual quantidade de fertilizantes compostos e simples.

Tempo

Multimédia