Províncias

Combate a violência doméstica é feito com diálogo

Maiomona Artur | Caxito

A directora Provincial da Família e Promoção da Mulher do Bengo, Joana Pinto, revelou ontem, no Caxito, que no ano passado foram registados 222 casos de violência doméstica. Os municípios do Icolo e Bengo, Bula Atumba e Dande apresentaram os maiores números.

Programa de radiofónico vai falar dos direitos da mulher
Fotografia: JA

A directora Provincial da Família e Promoção da Mulher do Bengo, Joana Pinto, revelou ontem, no Caxito, que no ano passado foram registados 222 casos de violência doméstica. Os municípios do Icolo e Bengo, Bula Atumba e Dande apresentaram os maiores números.
Em declarações ao Jornal de Angola, Joana Pinto esclareceu que, no mesmo período, nos oito municípios que compõem a província, foram realizadas actividades do fórum familiar, em que foram analisados casos de fuga à paternidade, violência doméstica, abandono de lar e violência contra a criança.
A directora provincial da Família e Promoção da Mulher adiantou que outras actividades em benefício da mulher, como a formação de parteiras tradicionais e a sensibilização para a luta contra o vírus da sida junto da população, têm sido uma constante.
“Agora as mulheres compreendem muito mais o papel da promoção da mulher. Antes, algumas tinham consciência de que a direcção provincial era simplesmente para promover os direitos das mulheres e não da família. Elas agora já conseguem compreender melhor esta mensagem”, afirmou a directora. Ainda assim, Joana Pinto lamentou o facto de muitas mulheres ainda não conhecerem os seus direitos “e pensarem que os seus parceiros têm mesmo que bater nelas”. “Muitas vezes são os vizinhos que vêm apresentar queixa porque a violentada não tem coragem de acusar o seu esposo”, lamentou.
A direcção provincial tem levado a cabo um trabalho de resgate dos valores morais nas comunidades, com o objectivo de ver diminuídos os casos de violência doméstica. No dia 12 de Março é lançado, no Bengo, um programa radiofónico, denominado “O Jango”, com o objectivo de divulgar a Convenção sobre os Direitos da Mulher e a luta contra a discriminação.
Joana Pinto revelou igualmente que, no decurso deste ano, a província do Bengo já registou 56 casos de violência doméstica. Descontente com o número de queixas, a directora pediu às mulheres angolanas, em particular as do Bengo, para que continuem a lutar pela igualdade do género e a dignificação dos seus direitos e da família.

Tempo

Multimédia