Províncias

Complexo turístico nasce em Menongue

Carlos Paulino | Menongue

O ministro da Hotelaria e Turismo, Pedro Mutindi, inaugurou, no domingo, em Menongue,  o complexo turístico “Kambumbe Lodge”, do grupo empresarial Chicoil.

O complexo turístico conta com cem quartos, sala de conferências, restaurante, piscina, campo polivalente e parque de estacionamento
Fotografia: Carlos Paulino/Menongue

O ministro da Hotelaria e Turismo, Pedro Mutindi, inaugurou, no domingo, em Menongue,  o complexo turístico “Kambumbe Lodge”, do grupo empresarial Chicoil.

Numa primeira fase, o complexo turístico, construído numa área de 40 hectares, conta com cem quartos, uma sala de conferências, restaurante, piscina, campo polivalente e parque de estacionamento. Orçado em 20 milhões de dólares norte-americanos, proporcionou a criação de 60 postos de trabalho, contribuindo assim para o combate ao desemprego.
A segunda fase, que começa no próximo ano, tem a duração de dois anos e está avaliada em 20 milhões de dólares, perfazendo, no total, 40 milhões de dólares para a continuação de infra-estruturas complementares do projecto, com destaque para a construção de mais quatros e salas de jogos.
Pedro Mutindi considerou que “é gratificante, para uma pátria como a nossa, conhecer inúmeros palcos históricos da batalha da sua história, até à inauguração, apenas em sete anos de paz, de um imponente empreendimento turístico como este, que ficará à disposição, de forma oficial, de todos quantos nesta unidade hoteleira vão poder dispor dos seus serviços”.
“Só quem conheceu a realidade do nosso passado, pode entender a importância desta unidade hoteleira na vida socioeconómica desta heróica e combativa província do Kuando-Kubango”, realçou, prometendo que a partir deste cenário tem vindo a reflectir, no plano do desenvolvimento dos produtos turísticos, e a colocar o assunto para análise dos técnicos, encarando a possibilidade de propor aos agentes de turismo a promoção da imagem da província, numa perspectiva de melhoria económico.        
O ministro solicitou ao governador da província, Eusébio de Brito Teixeira, que este seu pensamento seja partilhado pelas autoridades locais, tendo em conta que nesta região está em fase de acabamento um dos projectos que ilustra o reconhecimento do Governo angolano por aquela que foi considerada a grande vitória da batalha do Cuito Cuanavale. Pedro Mutindi realçou que espera, enquanto titular da pasta de hotelaria e turismo, que os empresários do sector remunerem bem os seus funcionários e paguem as suas contribuições fiscais, “para o bem da Nação que, todos unidos num só pensamento e acção, estamos a construir de Cabinda ao Cunene e do mar ao Leste”.
“Estamos em contagem decrescente para o Campeonato Africano das Nações - Orange Angola’2010 sabendo que o nosso país assumiu este compromisso de realizar um CAN não só possível, mas também exemplar”, disse, acrescentando que com a inauguração do complexo turístico “Kambumbe Lodge”, apesar do Kuando-Kubango não acolher jogos do campeonato, “é mais uma contribuição para que os angolanos possam oferecer aos turistas nacionais e estrangeiros as condições condignas à dimensão da grandeza e à imagem do nosso espírito e da nossa força”.
Pedro Mutindi sublinhou que o CAN é um evento nacional, apesar de se realizar apenas nas cidades de Luanda, Benguela, Lubango e Cabinda. “Por isso, devemos falar dele com a dimensão pátria.”
O ministro recomendou ao proprietário do estabelecimento para fazer tudo, para que durante e após o campeonato o complexo turístico tenha uma taxa de ocupação de 100 por cento.  “Este empreendimento dispõe de condições capazes de atrair novas vontades para a província, tendo em conta que pessoas que falam e dão opinião e não conhecem a realidade de muitas opiniões que oferecem, e em vez de ajudarem prejudicam. Neste particular, é urgente consensualizar estas pessoas para uma tomada de atitude e comportamentos correctos que sirvam de incentivos e contribuição valiosa para o desenvolvimento do país e da província do Kuando-Kubango em particular”, acentuou.             
O governante sublinhou que “é com a força do passado que construímos o presente e olhamos o futuro, com realismo e optimismo de vencer todos os obstáculos pela frente ao fazer desta grande e bela rica Angola, um país de todos e para todos”.
O ministro recordou que a crise mundial afectou todos os países do mundo, “mas no nosso caso concreto fomos apanhados de surpresa e ficámos sem poder cumprir com alguns programas que gostaríamos de ver materializados no ano prestes a terminar”.  

Crise Mundial          

“Apesar de alguns constrangimentos daqueles que não acreditam, nem neles, nem naquilo que os angolanos são capazes, este complexo turístico mostra a capacidade e a determinação dos empresários nacionais”, disse Mutindi, salientando que foi satisfatório ouvir do responsável da hotelaria e turismo da província e do governador que o Kuando-Kubango está preparado para receber turistas dos países vizinhos que querem estar em Angola por altura do CAN’2010.
 
Mais serviços hoteleiros
 
Pedro Mutindi anunciou que em cada município da província do Kuando-Kubango vai ser construída uma unidade hoteleira com 50 quartos, no âmbito do programa de expansão da rede hoteleira do país e que estarão à disposição dos grupos de empresários que demonstram capacidade e honestidade profissional para gerir e rentabilizar estes empreendimentos.     
O Governador da província, Eusébio de Brito Teixeira, afirmou que “com a inauguração do imponente complexo turístico, não há dúvidas de que está à prova do fortalecimento e competitividade empresarial nacional, onde o grupo Chicoil, a exemplo de vários investimentos feitos nos diferentes pontos do país, tem sido um importante parceiro do Governo para o desenvolvimento socioeconómico de Angola”.   

Empresários convidados a investir na província

Eusébio de Brito Teixeira disse que o Governo angolano ao considerar que o modelo de desenvolvimento sustentável “deve visar o estabelecimento de uma economia forte, diversificada e estável em que os principais centros de decisão económica sejam detidos por nacionais. O governo da província está de braços abertos às outras iniciativas do género, de modo a criar uma base económica empresarial de angolanos interessados no progresso e crescimento do Kuando-Kubango”, acrescentou.
Eusébio de Brito Teixeira salientou que é um grande desejo ver cada vez mais os empresários nacionais envolvidos no “desafio de colocar à disposição das populações, importantes serviços hoteleiros que para além de dignificar a imagem e o nome da província, permitam atrair personalidades das mais diversas paragem do país e não só, na condição de turistas”.    
“Quero felicitar o grupo Chicoil e garantir todo o meu apoio, facilitando todas as solicitações que nos forem dirigidas dentro das nossas possibilidades”, disse, acrescentando que gostaria de contar também com o concurso de “mais empresários nacionais, a exemplo do Grupo Bartolomeu Dias e outros, com vista a desenvolverem a província que muita necessita de inúmeras e boas iniciativas”. 
O presidente do grupo Chicoil, Elias Piedoso Chimuco, destacou que agora “temos a grande responsabilidade, nesta época de paz, de demonstramos ao mundo e em África, em particular, que Angola e os angolanos são capazes de industrializar o seu próprio país, assim como mostrar o seu potencial turístico e as suas belas paisagens, rios, montanhas, chanas, entre outros pontos”.
“A nossa província é rica em pontos turísticos e temos estado a ver inúmeros turistas afluírem ao município histórico do Cuito Cuanavale, um cartaz de visita para a região”, concluiu o governador Eusébio Teixeira.

Tempo

Multimédia