Províncias

Comuna da Arimba forma novos engenheiros

Estanislau Costa e Arão Martins | Arimba

A abertura do Instituto Superior Politécnico na comuna da Arimba, na província da Huíla, está a dar um novo impulso à formação de engenheiros.
Além dos alunos dos institutos médios politécnicos do Lubango, a instituição está a receber igualmente candidatos do Namibe, Cunene e Kuando-Kubango. Neste primeiro ano académico, iniciado a 11 de Março, o instituto politécnico matriculou 1.110 estudantes, sendo 242 do sexo feminino.

A foto documenta a cerimónia do baptismo dos caloiros do Instituto Superior Politécnico da comuna de Arimba que tem este ano mais de mil alunos
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

Dentro de cinco anos, a instituição vai lançar no mercado de trabalho os primeiros engenheiros de Agronomia, Computação, Construção Civil, Geologia, Informática, Mecânica, Minas e Zootecnia.
A nova unidade orgânica da Universidade Mandume ya Ndemufayo perspectiva criar condições para a abertura de novos cursos de Arquitectura, Electrónica, Electricidade, Electromecânica, Infra-estruturas e Transporte, Mecatrónica e Telecomunicações.
O director-geral adjunto da área académica do instituto politécnico, Castilho Cacumba, explicou que o arranque das aulas foi recebido com satisfação pelos estudantes, uma vez que a maioria “já não precisou de se deslocar a outras províncias ou ao exterior para se especializar em engenharia”.
Castilho Cacumba salientou a existência de condições para proporcionar uma sólida formação cultural, técnica e científica no ramo da engenharia. “Os estudantes que atingirem o quinto ano vão ser, no segundo semestre, submetidos a aulas práticas, de carácter obrigatório, a fim de concluírem a primeira fase de investigação.”

Expansão do superior

O vice-governador provincial para o sector Económico da Huíla, Cunha Velho, reafirmou que a instalação deste instituto faz parte da estratégia do Executivo para a formação de quadros e expansão do ensino superior. Ao destacar a abertura da Universidade Mandume ya Ndemufayo, com as faculdades de Direito, Medicina, Economia, Instituto Superior Politécnico e suas ramificações nas províncias do Namibe, Cunene e Kuando-Kubango, Cunha Velho salientou que “estas faculdades dão agora aos jovens a oportunidade de escolher a especialização que lhes interessa”.

Futuro campus universitário

Depois de realçar a atribuição de bolsas de estudo a um número considerável de estudantes do ensino superior da Huíla, Cunha Velho considerou que este é o momento dos jovens desencaminhados por práticas indecorosas despertarem e apostarem ao máximo na formação.
Os investimentos no campo da formação básica e média são executados a pensar na qualificação de nível superior dos jovens, recordou.
“Neste capítulo, o esforço do Executivo consiste em acções que vão de encontro aos anseios e satisfação da juventude, que é a principal força motora do crescimento e desenvolvimento do país”. Do plano de desenvolvimento do Governo Provincial da Huíla, até 2017, consta a construção do futuro Campus Universitário da cidade do Lubango, numa área de 300 hectares, na nova centralidade da Eywa, que está projectado para integrar cerca de 20 mil estudantes.
As infra-estruturas do Instituto Superior Politécnico da província foram erguidas de raiz, num espaço de 13.805 metros quadrados da comuna da Arimba.
As obras estiveram a cargo do consórcio Omatapalo e Revescor, duas empresas locais que empregam mais de três mil pessoas.
O empreendimento, orçado em 28 milhões de dólares, possui quatro edifícios com dois pisos, divididos em seis blocos, com partes administrativas, biblioteca e salas de estudo, de aulas, oficinas de artes e ofícios, refeitório, ginásio e armazéns, segundo Castilho Cacumba.
Existe ainda,segundo o director, uma área reservada à componente espiritual, assim como a casa do director do estabelecimento, além de um complexo desportivo para incentivar a prática de actividades desportivas, centro de controlo, central de emergência e um posto de transformação para garantir o abastecimento de energia eléctrica.
 
Mais vagas

A Universidade Mandume ya Ndemufayo possui agora 2.276 estudantes matriculados nas faculdades de Direito, Economia e Medicina, disse Castilho Cacumba.
A Escola Superior Politécnica e Pedagógica do Namibe alberga 391 estudantes, a do Cunene 315 e a do Kuando-Kubango 280 alunos, num total de 8.545.

Tempo

Multimédia