Províncias

Comuna de Capaia tem apenas um médico e um enfermeiro

O sector da Saúde, na comuna da Capaia, município do Lucapa,  província da Lunda-Norte, conta apenas com um médico e um enfermeiro que atendem nove mil e 500 habitantes, residentes em 23 bairros, disse ao Jornal de Angola o administrador local, Lourenço Muazunga.

Habitantes de Capaia são assistidos no único posto médico na localidade desprovido de meios e quadros
Fotografia: Edições Novembro

“Precisamos urgentemente de mais médicos e enfermeiros. Estes dois quadros são insuficientes para atender o  número de habitantes da comuna. Além disso, temos de construir  pelo menos mais uma unidade sanitária, já que contamos actualmente com apenas uma . Portanto, em termos de assistência médica e medicamentosa estamos muito mal servidos, pelo que temos reportado esta situação às entidades competentes”, lamentou o administrador comunal .
 A comuna sequer tem uma ambulância para a evacuação de doentes com  casos complicados. “ Já que a assistência médica é débil, deveríamos, pelo manos, ter uma ambulância para evacuar os doentes graves  para evitarmos  situações constrangedoras”, sublinhou.

Energia eléctrica
Lourenço Muanzunga informou que a comuna de  Capaia recebe energia eléctrica através de um gerador de 46 KVA, “que por falta de abastecimento regular de combustível  não funciona diariamente. 
Nos dias correntes , a população local debate-se com a falta de água, pois antes era abastecida por intermédio de um sistema com capacidade para bombear 480 metros cúbicos de água por dia, mas devido a avaria do gerador que o alimentada deixou de funcionar.
 “A situação já é do conhecimento da Administração Municipal que prometeu resolver o problema com a aquisição de um novo  gerador de  65 KVA”, disse. Apesar destas carências,  Lourenço Muazunga disse que  a localidade que dirige registou de 2012 à 2016 os maiores progressos dos últimos anos, particularmente no que toca a construção de infra-estruturas sociais.
 “No último quinquénio foram erguidas na localidade três escolas que deram lugar à inserção de um grande número de crianças no sistema de ensino e a diminuição de  alunos que estudavam debaixo de árvores por falta de escolas. Contudo, se afigura premente a construção de mais escolas devido a crescente demanda da população”, disse.
 Devido a construção das três escolas, foram matriculados, no presente ano lectivo,  500 alunos e apenas 250 crianças ficaram fora do sistema de ensino.  “No ano passado o número de pessoas que ficou sem estudar foi maior”, revelou Lourenço Muanzunga.
O funcionamento das três escolas é assegurado por 12 professores, mas para uma cobertura eficiente são necessários 16 docentes. Por esta razão, as autoridades comunais solicitaram à Administração Municipal do Lucapa o enquadramento de  mais professores. “ Lucapa nos respondeu que temos de aguardar pelo concurso público que se vai realizar para encaminhar à nossa localidade o número de docentes que precisamos”, frisou Lourenço Muanzunga.

Desemprego
Grande parte da juventude da comuna do Capaia é desempregada. Para inverter este quadro  as autoridades locais  estão a persuadir as empresas   de exploração diamantífera para darem prioridade nos seus programas de contratação de mão-de-obra a residentes locais. “ Não se justifica que tenhamos muita gente desempregada aqui quando existem empresas diamantíferas de grande porte  na nossa comuna a empregarem  apenas pessoas de outras localidades”, rematou. 

Habitantes
9.500
residentes 
em 23 bairros


Escolas
Três escolas
de ensino de base

Saúde
Um posto médico.
um médico e um enfermeiro

Tempo

Multimédia