Províncias

Criados na província projectos rentáveis para os deficientes

Victor Pedro | Sumbe

A criação de projectos agropecuários, de artes e orifícios  e outros, implementados pelo Executivo e parceiros, permitiu a garantia do bem-estar social e melhoria das condições de vida dos deficientes a nível do país, admitiu, na semana finda, na cidade do Sumbe,  o presidente da Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA).

Ao  falar aos membros da associação no acto que marcou o 25.º aniversário da agremiação, Silva Lopes Etiambulo reconheceu o apoio incondicional do Executivo e parceiros, como da Fundação Lwini e outros, que permitiu reduzir o número de deficientes nas ruas. Disse que muitos acabaram por ser enquadrado nos vários sectores da vida económica e social.
Para a produção agrícola, Silva Lopes Etiambulo disse que estão preparadas milhares de hectares de terras aráveis a nível de várias províncias, o que permitirá contribuir para diversificação da economia, no quadro do Plano Nacional de Desenvolvimento 2017.
Silva Lopes Etiambulo lembrou que 10.758 deficientes beneficiaram do apoio do projecto “Vem comigo”  e outros sete mil foram contemplados através de um programa denominado “Recolher e reabilitar”. A actualmente a Anda controla a nível do país 98 mil deficientes.   
Além dos projectos agrícola, os membros da Associação Nacional dos Deficientes de Angola estão também envolvidos em outros ofícios, como de sapataria, serralharia, alfaiataria e pesca artesanal, segundo  Silva Lopes Etiambulo.

Tempo

Multimédia