Províncias

Crianças desamparadas recebem apoio alimentar

Víctor Mayala | Mbanza Congo

As dificuldades que as crianças órfãs e desamparadas do centro de acolhimento “Frei Giorgio Zullianelo”, em Mbanza Congo, enfrentam foram minimizadas, por a instituição ter recebido oito toneladas de produtos alimentícios diversos.

Administração Tributária presta solidariedade
Fotografia: Garcia Mayatoko

Entregues ontem pela Administração Geral Tributária (AGT), os bens eram constituídos por arroz, açúcar, fuba de milho, leite, óleo vegetal, salsicha, conservas de peixe e sabão.
Além da referida instituição, a AGT fez, igualmente, entrega a outras instituições públicas da província do Zaire, como o centro infantil “Kimpa Vita” e o hospital municipal de Mbanza Congo.
O responsável do posto aduaneiro do Luvo, Arão Vilinga, disse que os bens doados são produtos apreendidos pela Polícia Fiscal à luz dos decretos presidencial e executivo conjunto nº 76/16, que proíbe a exportação de bens da cesta básica.
Arão Vilinga explicou que a lei em vigor prevê que 30 dias depois da apreensão, os bens devem reverter a favor do Estado, que, por sua fez, decide o destino dos mesmos.
O responsável do posto aduaneiro salientou que, com a proibição, os comerciantes utilizam agora meios de camuflagem complexos, para tentar exportar os produtos em causa, uma atitude que serve também para a fuga ao fisco.
A directora provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo do Zaire, Isabel Queba Salvador, alertou aos comerciantes que pretendem ­exportar mercadorias, através da fronteira do Luvo, para tratarem antes da documentação necessária, de modo a evitarem constrangimentos. O responsável do centro de acolhimento “Frei Giorgio Zullianelo”, Danilo Grasseli, referiu que o donativo tem um significado de amor e de carinho do Estado e da sociedade no geral para com as crianças desfavorecidas.
“O nosso agradecimento transforma-se em oração em prol das instituições e pessoas singulares que, com gestos do género, demonstram amor e carinho para com as crianças do centro”, disse frei Danilo Grasseli.
O centro de acolhimento “Frei Giorgio Zullianelo" alberga actualmente 53 pessoas desfavorecidas e órfãs com idades entre os quatro e os 18 anos.

Tempo

Multimédia