Províncias

Cuanza-Sul: Famílias e fazendas da Quibala já têm energia da rede pública

Casimiro José | Quibala

O município da Quibala, na província do Cuanza-Sul, conta, desde ontem, com uma subestação móvel de fornecimento de energia eléctrica. Inaugurada pelo ministro de Energia e Águas, João Baptista Borges, no âmbito do programa do Executivo de electrificação rural, a subestação tem capacidade de 220 KVA.

A subestação móvel foi instalada há cinco quilómetros da cidade da Quibala, num período de quatro meses.
Fotografia: Edições Novembro

A subestação, uma extensão da do Wako-Kungo, passando pelo Ebó, através da barragem hidroeléctrica de Laúca, vai beneficiar, numa primeira fase, quatro mil clientes no casco urbano e bairros periféricos. A distribuição de energia para a população local e fazendas vai ser feita através de cinco postos de transformação (PT). Actualmente cerca de 3.200 consumidores já estão ligados à rede pública de energia.

A subestação móvel foi instalada há cinco quilómetros da cidade da Quibala, num período de quatro meses. As obras ficaram orçadas em dois milhões e 500 mil dólares e geraram 22 postos de trabalho directos. Com a inauguração da subestação móvel, a cidade da Quibala é iluminada, pela primeira vez, por energia da rede pública, fazendo com que a Administração Municipal poupe recursos financeiros, que eram direccionados para a compra de combustível e lubrificantes, para os grupos geradores.

O administrador municipal da Quibala, João Daniel Nunes, referiu que eram gastos, mensalmente, 60 mil litros de gasóleo, com custos que rondam os cerca de 50 mil dólares. “O nosso município é uma potência em termos de produção de cereais, citrinos e agropecuária. Com a energia eléctrica os ganhos são maiores, uma vez que muitas fazendas vão aumentar a capacidade produtiva”, disse João Daniel Nunes.

Garantiu que os fazendeiros já podem requerer à ENDE a electrificação das fazendas. O governador da província do Cuanza-Sul, Job Capapinha, reiterou a necessidade de os munícipes colaborarem com as autoridades na manutenção do equipamento eléctrico e de outros bens públicos. Segundo o ministro de Energia e Águas, o projecto surge na sequência das promessas feitas em Novembro do ano transacto, tendo em conta o posicionamento geográfico da cidade da Quibala.

O titular da pasta de Energia e Águas disse que a subestação móvel da Quibala teve poucos custos, devido ao aproveitamento de equipamentos reutilizáveis, provenientes de instalações modernizadas da Prodel, RNT e ENDE, permitindo poupar, aos cofres do Estado, valores acima de cinco milhões de dólares.

O próximo passo, de acordo com o ministro, vai ser a construção de uma subestação eléctrica, com capacidade de 220 KVA, visando responder os desafios de industrialização da região, bem como apoiar empreendimentos agrícolas. O ministro João Baptista Borges anunciou, sem avançar datas, que os municípios do Mussende, Ebó, Quilenda e Seles vão beneficiar de projectos que visam melhorar o fornecimento de energia eléctrica.

Munícipes aplaudem

“Nunca consegui conservar peixe e carne na arca ou na geleira, por falta de energia eléctrica, mas, a partir de agora, tudo vai mudar”, disse a munícipe Rosa Pereira. Outro cidadão que também manifestou satisfação é Jorge Almeida. “A partir de agora já podemos ligar os computadores a qualquer hora, para as pesquisas”. O município da Quibala tem 10.280 quilómetros quadrados e uma população estimada em 163.991 habitantes.

Tempo

Multimédia