Províncias

Cuito sem aterro sanitário

José Chaves | Cuito

A forma como o lixo recolhido na cidade do Cuito é tratada constituiu um atentado ao ambiente e à saúde pública, reconheceu ontem o chefe do Departamento do Ambiente na província do Bié.

Fotografia: Edições Novembro

Raimundo Kufa acrescentou que a falta de um aterro sanitário e de uma incineradora inviabiliza a realização de um trabalho moderno e eficaz, na recolha e tratamento de resíduos sólidos.

“Até os resíduos hospitalares são queimados ou expostos às águas pluviais, sem o mínimo de cuidados ambientais, correndo o risco de afectarem os lençóis freáticos da região”, sublinhou Raimundo Kufa, acrescentando que o lixo recolhido na cidade do Cuito e nos bairros periféricos é depositado ao relento, na zona do quilómetro 12, na comuna do Cunje, próximo de residências.

Segundo Raimundo Kufa, apesar do apoio dado pelo governo provincial à empresa responsável pela recolha do lixo na cidade do Cuito, consubstanciado em meios técnicos para auxiliar no trabalho de recolha e tratamento dos resíduos sólidos, o que trouxe melhorias significativas nas acções de limpeza na cidade e arredores, existem ainda muitas insuficiências que devem ser superadas.

Notícia em desenvolvimento...

Tempo

Multimédia