Províncias

Abate indiscriminado das árvores preocupa autoridades de Namacunde

Dionísio David | Namacunde

Os membros do conselho municipal de concertação social de Namacunde manifestaram a sua preocupação com o abate indiscriminado de árvores para o fabrico de carvão, na quinta-feira, durante a sua terceira sessão ordinária.

Durante a sessão de abertura, o administrador municipal Lúcio Ndinoiti disse que a exploração desenfreada do carvão tem-se tornado, nos últimos tempos, uma prática quotidiana e que se não forem tomadas mediadas de contenção, a situação pode piorar, com consequências para a flora e a fauna na região.
Solicitou aos membros do conselho uma reflexão profunda sobre o assunto, tendo ainda reiterado a vontade da administração municipal de tudo fazer para se evitar a contínua desertificação do município, cujas consequências se têm reflectido negativamente nos sectores da agricultura e da pecuária.
A este respeito, o conselho de concertação social constatou que o problema, para além de ser preocupante, tende a agravar-se, dado o seu alastramento para os restantes municípios do Cunene, com destaque para o do Kwanhama, tido como o centro do comércio ilegal de carvão.
 As localidades de Santa Clara e comuna de Chiede, no município de Namacunde, são igualmente apontadas como importantes praças de venda do produto.

Tempo

Multimédia