Províncias

Administrador do Cuanhama pede apoio

Elautério Silipuleni | Ondjiva

O administrador municipal do Cuanhama afirmou, na comuna do Evale, que o problema da fome que afecta a província do Cunene, em consequência da falta de chuva nos últimos dois anos, que resultou na falta de alimentos e água para as pessoas e para o gado, deve ser resolvido com o esforço e participação de todos.

As autoridades locais continuam a traçar estratégias para minimizar os efeitos da seca
Fotografia: Elautério Silipuleni | Ondjiva

Gonçalves Namweya, que falava no acto de apresentação da nova administradora comunal do Evale, disse que só com o envolvimento de todos se vai resolver o problema da fome que se regista actualmente.
O administrador disse ter conhecimento dos esforços que a população da comuna tem feito no sentido de colmatar a falta da água e de alimentos, mas, acrescentou, há necessidade de mais união entre as comunidades.
Gonçalves Namweya referiu que o Executivo e instituições privadas estão empenhados em prestar mais apoio a todas as pessoas afectadas pela seca.
“Nós temos consciência dos esforços que têm feito para conseguirem sobreviver com a falta de água e de alimentos. O Governo tem empreendido esforços para levar água às comunidades, com a construção de furos de água em várias localidades”, sublinhou. O administrador disse que o E­xecutivo lançou um programa que já começou no município do Cuanhama, para reabilitação e abertura de novos de furos de água, e a comuna do Evale também é contemplada.

Reforço na produção


O administrador Gonçalves Namweya incentivou a população do Evale a apostar na agricultura para o combate à fome e pobreza no meio rural. Disse que nesta época agrícola as famílias devem produzir alimentos suficientes para se juntarem aos esforços do governo.
Gonçalves Namweya, que entregou charruas de tracção animal às cooperativas e associações a­grícolas da comuna, disse que os camponeses devem apostar na produção, no âmbito do programa de combate à pobreza.
Disse ainda que as associações têm que ter celeiros para guardar os mantimentos, que devem ser distribuídos em momentos difíceis.
“Não devem apenas receber os instrumentos de trabalho e guardar, estes são para utilizar, para produzirem o máximo para salvaguardar a vida das pessoas e combater a fome e pobreza no nosso seio”, frisou.
Com a aposta em grande na agricultura, a administração do Cuanhama pretende duplicar a produção de diversos produtos alimentares quando começar a chover.
Ainda na comuna do Evale, o administrador apresentou a nova administradora comunal, Eufémia Nadambelela, recentemente nomeada pelo governador do Cunene, António Didalelwa.

Tempo

Multimédia