Províncias

Águas do Cunene têm bom potencial

Elautério Silipuleni | Ombadja

O secretário de Estado para Aquacultura, Zacarias Sambeni, disse em Xangongo que as margens do rio Cunene possuem grandes potencialidades para o fomento da aquicultura, capaz de gerar benefícios sociais e económicos para a população.

O fomento da aquacultura representa uma aposta e alternativa ao aumento da produção pesqueira para a melhoria da dieta
Fotografia: Eduardo Pedro

Zacarias Sambeni, que falava no final da visita que efectuou à província, com o objectivo de constatar as potencialidades do Cunene para o relançamento da aquacultura na região, disse que o Executivo angolano pretende tornar o sector uma alavanca da diversificação da economia nacional, para diminuir as importações. A criação de peixes surge como excelente oportunidade de negócio, tendo em conta que a população é por tradição consumidora de pescado.
O fomento da aquicultura representa uma aposta e alternativa para o aumento da produção pesqueira, visando a melhoria da dieta alimentar da população, criação de novos postos de emprego e aumento do rendimento familiar.
Neste subsector pretende-se igualmente aproveitar as potencialidades hídricas, climáticas e de mercado existentes na província, para aumentar a produção do pescado e diminuir substancialmente a importação da tilápia (chopa) e outras espécies que hoje constituem uma grande proporção do total comercializado.
O projecto tem garantias de seguir o seu curso dentro das metas preconizadas. Zacarias Sambeni encorajou os seus proprietários a continuarem com o mesmo desempenho e dedicação, como garante para a prossecução de um grande projecto de cariz económico e de inclusão social. A aquacultura, a­crescentou, está dirigida essencialmente às comunidades rurais e costeiras, através de acções de fomento que proporcionam uma maior motivação, de forma a alavancar o surgimento de economias locais, com impacto directo no Programa de Combate à Fome e Pobreza.
“O Executivo pretende desenvolver a aquacultura comercial, esperando um maior dinamismo e criatividade do sector privado”, frisou.
A aquacultura está a ser convertida numa das alternativas mais viáveis para a produção de pescado, alimento com um alto valor proteico, e para assegurar a produção deve-se desenvolver esforços de forma planificada e uma boa coordenação. Zacarias Sambeni conversou demoradamente com membros de cooperativas, associações e pescadores artesanais que desenvolvem a actividade nas margens do rio Cunene, tendo pedido maior organização e elaboração de projectos credíveis, de forma a concretizar-se este programa dentro de pouco tempo na província.
“Melhores resultados são atingidos através de investimentos, construção de infra-estruturas apropriadas, capacitação, divulgação e extensão”, refere. Para evitar o insucesso é necessário elaborar projectos que tenham características adaptáveis à região, onde se quer implantar cada centro de produção. Na província do Cunene, acrescentou, o desenvolvimento da aquacultura tem que ser visto como um sector que muito pode contribuir para a melhoria da vida das comunidades, principalmente as ribeirinhas.
Durante dois dias de visita de trabalho à província do Cunene, o secretário de Estado para Aquacultura, acompanhado pelos directores nacionais e técnicos do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural e do Instituto Nacional de Pesca Artesanal, visitou as albufeiras da barragem do Ruacaná, Calueque e as lagoas de Onete, Cassei e Vau do Pembe, nos municípios do Curoca e Ombadja.

Tempo

Multimédia