Províncias

Alto crescimento da rede hoteleira

Elautério Silipuleni| Ondjiva

O sector hoteleiro na província do Cunene registou, nos últimos anos, significativas melhorias, dispondo de dois hotéis e de 33 pensões, além de estabelecimentos similares, com reflexos na melhoria da qualidade de serviços e criação de empregos.

Panorâmica da cidade de Ondjiva a capital do Cunene onde os turistas deixam de ter dificuldades em termos de alojamento e restaurantes
Fotografia: dominiano fernandes

O director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo disse ao Jornal de Angola que, apesar de ainda se verificarem dificuldades, há uma melhoria considerável e que as unidades hoteleiras têm contribuído para o crescimento da região.
Gabriel Hikimoti salientou que com o surgimento da rede hoteleira de qualidade, a província atrai mais agentes económicos e dinamiza desta forma o sector produtivo.
A província, insistiu, tem enormes potencialidades turísticas que ainda contiumam pouco exploradas, quando o sector é um dos “motores” de várias economias mundiais.
“Hotéis, pensões e hospedarias ainda enfrentam problemas na formação e qualificação do pessoal devido à falta de uma escola de hotelaria na província”, declarou, mas reconheceu os esforços dos empresários para debelar a situação. O turismo, insistiu, apresenta-se como dos mais promissores sectores da economia, disponibilizando um conjunto de produtos e experiências enriquecedoras aos visitantes. Na província, recordou, há 12 sítios naturais históricos e culturais de interesse turístico, que continuam por explorar, em grande parte devido à falta ou mau estado de conservação das vias de acesso. Também lamentou que se preste “pouca atenção aos poucos centros turísticos da região”, principalmente a nível de investimentos.

Pontos turísticos

Entre os pontos turístico no Cunene contam-se as quedas das águas de Ruacana, bem como do Monte Negro, Forte Roçadas, Monumento do Vau do Pembe, Monumento do Mufilo, Ombala grande do Humbe, Ombala grande de Ombadja, Ombala Grande do Oipembe, Parque Nacional da Mupa, Toca do Leão, o maior Imbondeiro de África e o complexo Memorial do Rei Mandume, que está a  ser restaurado.
O director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo, Gabriel Hikimoti, disse que entre aqueles atractivos turísticos da província, apenas o último tem infra-estruturas de apoio.
Os restantes, concluiu Gabriel Hikimoti, estão aquem do desejado, por falta de exploração, devido às péssimas condições das vias de acesso.
O sector do Turismo na província do Cunene arrecadou no ano passado 3.124.634 de kwanzas para os cofres do Estado.

Tempo

Multimédia