Províncias

Alunos pedem laboratórios funcionais em Ondjiva

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Alunos das escolas do I e II ciclo do ensino secundário da província do Cunene pediram, em Ondjiva, ao Governo Provincial, mais investimento na criação de laboratórios em instituições de ensino, para tornar possível aliar os conhecimentos teóricos aos práticos e permitir uma aprendizagem completa.

Na maior parte das escolas da cidade de Ondjiva é difícil aliar a teoria à prática o que põe em causa a capacidade dos recém-formados
Fotografia: Jornal de Angola

Na maior parte das escolas de Ondjiva existem laboratórios, mas sem equipamentos que permitam aos alunos terem aulas práticas, o que, de acordo com eles, prejudica o processo de aprendizagem.
Jubila Ndapewashli, aluna da 8ª classe, na escola Comandante Cowboy, disse sentir a necessidade de aliar a teoria à prática. Por isso, neste início de mais um ano lectivo, os alunos estão a pedir ao Governo Provincial para adquirir os equipamentos necessários para tornar os laboratórios funcionais.
Octávio de Jesus, estudante da 12ª classe da escola de Formação de Professores de Ondjiva, referiu que a especialidade que frequenta (Física e Química) exige aulas práticas para facilitar o entendimento e aprofundar as matérias relacionadas com estas disciplinas. O aluno explicou que não tem sido possível aprender convenientemente as matérias, porque a escola, apesar de possuir dois laboratórios para aulas práticas de Física, Química e Biologia, eles não funcionam por falta dos equipamentos necessários.
Em seu entender, o Governo Provincial deve ter em conta esta situação e procurar resolvê-la com alguma urgência, para que os técnicos formados tenham a qualidade exigida. “A falta de conhecimentos práticos faz com que muitos finalistas encontrem muitas dificuldades no prosseguimento da sua formação noutros níveis e no mercado de trabalho”.
Tal como na Comandante Cowboy e na Escola de Formação de Professores de Ondjiva, as dificuldades relacionadas com o funcionamento dos laboratórios é sentida noutras instituições de ensino do Cunene, como confirmou o director local da Educação Ciência e Tecnologias.
Lúcio Ndinoiti disse estar por dentro das dificuldades que os estudantes têm encontrado em associar as aulas teóricas às práticas, por falta de equipamentos nos laboratórios e garantiu que o Governo Provincial está a tentar resolver este problema. Aliás, a direcção provincial da Educação Ciência e Tecnologia tem delineado projectos de reabilitação de escolas, que incluem a aquisição de equipamentos para os laboratórios dos respectivos estabelecimentos de ensino.

Insuficiência de salas

Outra preocupação dos alunos é a insuficiência de escolas do I e II ciclo na província do Cunene, principalmente na cidade de Ondjiva, o que obriga muitos alunos que concluem o ensino primário a redobrarem esforços para conseguir uma vaga entre as poucas existentes. Apesar disso, reconheceram o esforço do Governo Provincial na construção, reabilitação e apetrechamento de nstituições de ensino no Cunene, embora ainda sejam necessárias mais escolas para colmatar as dificuldades da falta de salas de aulas.

Longas distâncias

A distância percorrida para chegarem à sua escola foi outra das grandes preocupações apontadas pelos alunos, problema que se a­grava quando muitos adolescentes são obrigados a estudar à noite.
O vice-governador da província para o sector económico, António Candeeiro, garantiu que o Governo Provincial está atento a este problema e está a tentar ultrapassar todas essas dificuldades apontadas pelos alunos.
A título de exemplo salientou que o Programa de Investimentos Públicos (PIP) prevê, para este ano, a construção de 26 escolas, desde o ensino primário até ao I e II ciclo do ensino secundário nos seis municípios, com vista a encurtar as distâncias percorridas pelos alunos e acabar com as aulas debaixo de árvores.

Tempo

Multimédia