Províncias

Autoridades auscultam sector da Construção Civil

Empresários do ramo da construção civil, na província do Cunene, defendem maior oportunidade no acesso às obras públicas.

Governo defende estratégias de protecção das empresas nacionais
Fotografia: Maria Manuel | Edições Novembro

A ideia foi manifestada durante um encontro de auscultação que juntou responsáveis de empresas de construção civil, projectistas, fiscais e o governador do Cunene, Vigílio da Ressurreição Tyova.
O representante da Associação dos Construtores, Aires Alberto, disse que o sector da construção civil é um dos mais afectados pela crise económica e financeira que o país enfrenta.
Aires Alberto defendeu a qualidade e eficácia do trabalho das empresas nacionais para poderem enfrentar a concorrência.
O presidente da Câmara de Comércio e Industria, Francisco Boleth Salú, reconheceu que grande parte das empresas da província estão a passar por dificuldades e necessitam de incentivos, sob pena de desaparecerem.
O governador do Cunene, Vigílio Tyova, reconheceu a situação actual dos empreiteiros, afirmando que a situação  tem de ser revertida com programas concretos.
Salientou que o Governo prevê, para o próximo concurso, dar prioridade às empresas com sede ou representa-
ção na província, de modo a aumentar o nível de emprego, da renda, promoção do empre-endedorismo e sustentabilidade das empresas.
Vigílio Tyova alertou os empresários a estarem capacitados técnica e financeiramente para enfrentar o mundo competitivo, discordando de opiniões contra empresas estrangeiras.
“Devemos conceber estratégias de protecção das em-presas nacionais criadas, me-
diante a atribuição de oportunidades de acesso aos concursos públicos, que serão efectuados mediante a classificação” sustentou.

Tempo

Multimédia