Províncias

Autoridades locais da Educação apelam à preservação das escolas

Dionísio David | Ondjiva

O chefe de repartição municipal da Educação do Cuanhama, no Cunene, afirmou, ao Jornal de Angola, ser importante que alunos e professores preservem as infra-estruturas para que posteriormente outras pessoas se possam servir delas.

Chefe da repartição municipal da educação
Fotografia: Dionísio David | Ondjiva

O chefe de repartição municipal da Educação do Cuanhama, no Cunene, afirmou, ao Jornal de Angola, ser importante que alunos e professores preservem as infra-estruturas para que posteriormente outras pessoas se possam servir delas.
Ambrósio Hisinduavali fez a afirmação devido ao elevado estado de degradação das escolas de construção definitiva na sede municipal do Cuanhama e nas zonas rurais.
Face a má conservação dos imóveis é urgente o envolvimento das comunidades na preservação das estruturas postas à sua disposição, disse e lembrou que a destruição continuada das escolas se tem reflectido no mau aproveitamento escolar dos alunos.
O Cuanhama tem 323 escolas, 57 das quais de construção definitiva, cuja maioria, frisou, está bastante degradada devido ao desleixo de alguns professores, de alunos e do resto da comunidade.

Formação e capacitação

Ambrósio Hisinduavali referiu que, face aos novos desafios colocados ao ensino, em particular do primeiro ciclo do primário, mais de mil professores, das quatro comunas, frequentam uma acção de formação e de actualização de conhecimentos.  A acção, salientou, pretende preparar os professores sobre procedimentos de avaliação contínua do novo sistema da reforma educativa, conhecimentos das novas formas de elaboração de estatística escolar e sobre um estudo de deontologia profissional e  de revisão de conteúdos temáticos. Este ano lectivo, disse, as autoridades prevêem desenvolver as turmas anexas para o primeiro ciclo.
O município do Cuanhama tem 1.988 professores, que leccionam do primeiro ciclo à nona classe, número que Ambrósio Hisinduavali considera insuficiente, pois a cobertura por escolas é de um professor para 70 alunos.
A nível da província, lamentou, há apenas uma escola de formação de professores, que realiza cursos anuais e acções de formação.

Tempo

Multimédia